Alberto Ramella/AP
Alberto Ramella/AP

Diego não entende ausência na seleção, mas respeita Dunga

'Tenho 25 anos, esperarei o próximo Mundial, em casa, no Brasil', afirma o meio-campo da Juventus

Entrevista com

Efe,

13 de março de 2010 | 08h55

O meio-campo Diego, da Juventus, disse não entender por que o técnico Dunga não o convoca para a seleção brasileira, mas respeita a decisão porque jogar na equipe é "difícil".

 

Em entrevista ao jornal esportivo italiano La Gazzetta dello Sport, o jogador da equipe de Turim falou sobre a fase de sua equipe e seu futuro na seleção.

 

"Não entendo, mas assumo [minha ausência na seleção]. Tenho 25 anos, esperarei o próximo Mundial, em casa, no Brasil. Joguei 2 anos e meio com [o treinador brasileiro Carlos Alberto] Parreira e este mesmo período já com o Dunga, quando estava no Werder Bremen. Depois, não fui chamado mais", disse.

 

"Respeito as escolhas, jogar na seleção brasileira é dificilíssimo, há muitos campeões", completou o meia, que quer ter um filho em breve.

 

O jogador defendeu o atacante Adriano, seu "grande amigo", dos problemas que enfrenta atualmente no Flamengo: "É um bom garoto, tem um coração grande, generoso. Espero que retome as rédeas de sua vida. O futebol é seu melhor remédio", afirmou.

 

Diego disse que o elenco da Juventus quer ser campeão da Liga Europa nesta temporada. "Temos de continuar entre os grandes", apontou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.