Diego nem pensa em deixar o Santos

O meia Diego seguiu o exemplo de Robinho e diz que quer ficar na Vila Belmiro por mais três ou quatro anos. "No que depender de minha vontade e a de meu pai, seria ótimo continuar para ganhar mais um pouco de bagagem", afirmou o jovem campeão brasileiro, de 17 anos.Depois de conversar com os dirigentes sobre um eventual interesse do Milan, Diego disse que nem o Santos nem seu pai (e procurador) receberam qualquer sondagem. De acordo com o site italiano Calciomercato, a equipe de Milão estaria disposto a ceder o zagueiro Roque Júnior. por empréstimo em troca da prioridade para a contratação de Diego. "O que eu soube foi o que saiu nos jornais e fico feliz se for verdade, mas posso afirmar que o Santos não recebeu nenhuma consulta."Diego afirmou também que está satisfeito com o que ganha no clube. Seu contrato com o Santos vai até 2005. Ele disse que só não cumpre o compromisso se a diretoria não quiser. "Sinto-me reconhecido no Santos. A diretoria premiou a minha ascensão e providenciou um bom aumento. Não tenho motivos para pensar em sair agora. Quero fazer história, ser campeão paulista e da Libertadores."A diretoria do Santos também prometeu ao jogador um novo reajuste, por objetivos conquistados. O título de campeão brasileiro já faz parte desse acordo. Isso significa que Diego tem direito a um novo reajuste, só não revela de quanto. "A diretoria do Santos tem homens de palavra. Sei que não será preciso cobrá-los", revelou o jogador.Se os problemas estão resolvidos com Diego e Robinho, a situação é diferente em relação ao meia Robert e aos laterais Maurinho e Léo. O diretor de futebol do Santos, Francisco Lopes, chegou a fazer uma proposta a Maurinho. Mas o jogador não teve como responder, já que os donos de seu passe são Luizão e Vampeta, que não foram localizados pelo lateral. Léo e Robert estão em férias e não receberam sequer uma proposta. "Não localizamos seus procuradores", justificou o dirigente.Os contratos de Maurinho, Léo e Robert vencem nesta terça-feira. De acordo com a lei, a partir de amanhã os três estão liberados para negociar com qualquer equipe. Todos afirmam que pretendem continuar na Vila. No entanto, o Santos deve encontrar alguma dificuldade para acertar com Léo e Robert.Léo chegou a dizer que no passado aceitou as restrições financeiras do clube e agora, depois da conquista do título brasileiro, espera reconhecimento. Já o caso de Robert é ainda mais complicado porque o seu salário (R$ 115 mil) está muito acima do teto de R$ 70 mil. Só o técnico Émerson Leão supera esse limite, com R$ 100 mil mensais, mais bônus por conquistas.O Santos também negocia a contratação de um substituto para Alberto, que se transferiu para o Spartak, de Moscou. Róbson, do Bahia, é o mais cotado. Sua contratação ficou facilitada depois que o clube baiano, por exigência do técnico Candinho, suspendeu o contrato do jogador. ?Robgol?, como é conhecido, fez 26 gols em 2002, se casou e está passando lua-de-mel em uma praia de Alagoas. O Santos também fala no experiente Evair, de 37 anos.A diretoria espera ainda renovar o contrato com a Bom Bril. O presidente Marcelo Teixeira teria reivindicado a Gianni Grisendi, da multinacional italiana Círio, dona da Bom Bril, um aumento de 500%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.