Diego promete assumir responsabilidade

Diego é o jogador mais jovem do grupo que está no Chile - completa 19 anos dia 28 de fevereiro -, mas é o que fala com mais segurança sobre a partida de amanhã. Ele sabe que chegou o momento de desequilibrar e promete lutar muito para que seu talento apareça e ajude o Brasil a vencer. "A hora da decisão é que diferencia o craque do jogador comum. Sei que tenho condição de decidir o jogo, como outros jogadores daqui também têm, e vou dar tudo o que tenho em termos de técnica e raça. Garanto que não vou me omitir em momento nenhum e vou chamar a responsabilidade." Até agora, ele disputou cinco partidas na competição - ficou fora contra a Colômbia por estar suspenso - e marcou dois gols: um contra a Venezuela, depois de uma tabela com Robinho, e um de pênalti contra o Paraguai. Ele saiu do jogo contra a Argentina com a mão na coxa direita, sentindo dores musculares. Mas disse que não vai nem se lembrar disso quando estiver em campo esta sexta à noite. "Antes de o Pré-Olímpico começar a gente já sabia que seria uma competição muito desgastante e que com certeza as dores musculares apareceriam. É impossível fazer tantos jogos num intervalo tão curto sem ter nenhuma dorzinha. Só que na hora da decisão a gente supera isso na garra e na vontade de colocar o Brasil na Olimpíada." Não será a primeira vez na competição que o time entrará em campo sob pressão. Foi assim na última rodada da primeira fase - quando precisava vencer o Chile para escapar da repescagem -, na partida contra a Colômbia e também no jogo contra a arquirrival Argentina. Por isso, o meia do Santos acredita que todos os jogadores estão preparados para o que terão pela frente no confronto de amanhã contra o time da casa. "Estamos acostumados com a pressão. Na Seleção Brasileira, a cobrança existe sempre. O mais importante é que acreditamos na nossa força e sabemos que temos condição para ganhar do Chile e do Paraguai." É bom que ele esteja certo, porque o Brasil ganhou apenas um dos últimos quatro jogos que fez no torneio - contra a Colômbia, por 3 a 0. Empatou com Uruguai e Chile por 1 a 1 e perdeu para a Argentina por 1 a 0. O fato de o Chile também ter perdido na primeira rodada é visto com satisfação pelos jogadores. Eles sabem que o adversário não poderá jogar com tanta cautela como fez na partida da primeira fase, em que tinha a vantagem do empate para terminar na liderança da chave. "A situação deles é como a nossa e a torcida não vai admitir que eles fiquem jogando lá atrás. O Chile vai ter que buscar o gol e isso é bom para nós", afirmou Dudu Cearense, que tomou conta da posição que era de Paulo Almeida e caiu de vez nas graças da comissão técnica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.