Paulo Whitaker/Reuters - 27/11/2013
Paulo Whitaker/Reuters - 27/11/2013

Diego Sacoman supera problema cardíaco e pode voltar ao futebol

Após quatro meses parado devido a uma hipetrofia ventricular esquerda, zagueiro é liberado pelo Dante Pazzanese

Estadão Conteúdo

16 de janeiro de 2015 | 20h17

Após quatro meses de muita angústia e esperança, o zagueiro Diego Sacoman finalmente recebeu o aval para voltar a jogar futebol. Após quatro meses parado por conta de uma hipertrofia ventricular esquerda, espécie de espessamento anormal no ventrículo esquerdo, o jogador já começou a discutir um possível retorno à Ponte Preta.

A equipe médica do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, de São Paulo, foi responsável por assinar o laudo médico liberando o defensor de 27 anos para realizar atividades físicas. "Minha felicidade era tamanha, estava com tanta vontade de fazer atividade física, que saí correndo do hospital", comemorou Diego Sacoman, que correu cerca de cinco quilômetros antes de parar.

O contrato do zagueiro com a Ponte terminou no último dia 31 de dezembro, porém havia previsão de renovação automática por um período igual ao que ele ficou parado. "Vou conversar para ver o que o departamento médico e comissão técnica pensam", afirmou, lembrando que a única recomendação é um monitoramento a cada seis meses.

Por enquanto, o clube de Campinas espera adotar cautela, embora tenha demonstrado interesse na permanência de Diego Sacoman. "É algo que precisa ser feito com todo o cuidado. Nossos médicos vão avaliar o laudo e nosso jurídico vai verificar todos os trâmites legais antes de pensarmos em algo", informou o gerente de futebol Gustavo Bueno.

Diego Sacoman chegou à Ponte no início de 2012 e fez mais de 100 jogos pelo clube. O zagueiro teve o problema cardíaco detectado durante exames médicos no Atlético-PR, ano passado, quando acertava sua transferência. O problema segundo o cardiologista Nabil Ghorayeb foi uma gripe mal curada, que refletiu-se no coração.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolDiego Sacoman

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.