Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Diego se isenta de culpa pelas propostas

Pouco antes de embarcar para a concentração, para o jogo de amanhã contra o Flamengo, Diego impôs uma condição para conceder entrevista coletiva: nenhuma pergunta sobre as negociações para se transferir para o Tottenham. Mas não agüentou a pressão dos jornalistas e falou sobre o assunto. "Espero que o presidente analise o que é melhor para o Santos em primeiro lugar e depois para mim, e tome a decisão certa". Ele reafirmou que sua cabeça esteve sempre voltada para o Santos: "Evitei que as notícias me desconcentrassem do nosso objetivo maior que é o Campeonato Brasileiro". Segundo Diego, deu para perceber isso no último jogo, contra o Paysandu. "Tive muita concentração naquela partida e vou entrar da mesma maneira contra o Flamengo, pois não adianta eu me iludir porque quem vai tomar a decisão não sou eu; cabe a mim jogar futebol". O jogador revelou que não estava por dentro dos valores certos envolvidos na negociação com o clube inglês. "Se soubesse, até me atrapalharia e tenho condições de ganhar mais para frente o que poderia ganhar agora". Diego não se preocupa com um eventual comportamento hostil da torcida. "Quem pensa e quem é inteligente sabe que quem faz isso não sou eu, que só jogo futebol". Para ele, "os fatores extra-campo são criados pela imprensa e pelos clubes europeus". E concluiu perguntando: "que culpa tenho eu de estar jogando e de estar recebendo propostas?". O diretor de futebol do Santos, Francisco Lopes, confirmou que Diego não será vendido para o Tottenham: "Não tem mais negócio, só no ano que vem. Conversei com o presidente Marcelo Teixeira e as negociações estão encerradas." Hoje, estava quase tudo certo para que Diego finalmente, por US$ 12 milhões (US$ 9 milhões para o Santos e US$ 3 milhões para Dejair, pai de Diego) acertasse a sua ida para o clube inglês. O que atrapalhou a transação de Diego já, porém, foi que o presidente Marcelo Teixeira pretendia liberá-lo apenas no encerramento do Campeonato Brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.