Diego Souza: 'Nós erramos e esse resultado é muito ruim'

Jogadores do Palmeiras lamentam derrota para o Goiás por 3 a 2; Luxemburgo reclama das expulsões

Rubens Santos, O Estado de S. Paulo

20 de julho de 2008 | 19h54

No confronto dos verdes o Palmeiras desperdiçou várias chances, e a derrota aconteceu por uma sucessão de erros, na opinião dos jogadores paulistas: "Nós erramos", disse Diego Souza no final do jogo. Veja também: Palmeiras perde mais uma fora de casa pelo Brasileirão "O que aconteceu é que nós erramos e esse resultado é muito ruim para nós", lamentou, ao explicar que sua equipe tem a pretensão de chegar ao título. "Começamos mal, levando dois gols, conseguimos o empate mas erramos muito ", disse Alex Mineiro. "Depois dos gols, perdemos um jogador e ai tudo complicou de vez. Com um jogador a menos, ai ficou pior ainda", comentou. O drama da derrota palmeirense teria sido realçado pelos erros de arbitragem, segundo disse Denílson, que saiu de campo irritado. Nervoso, reclamou tanto do juiz em campo e fora dele, que foi expulso no último minuto do 2.º tempo: "Ele errou", disse apontando para o juiz Alicio Pena Júnior (MG). "E isto nos prejudicou". O que prejudicou mais, segundo o técnico Vanderley Luxemburgo, não foram tanto os erros coletivos mas, principalmente, as expulsões: "Todos foram responsáveis, ocorreram erros individuais e erros coletivos", disse após o jogo. "Mas estou chateado porque tivemos jogadores expulsos, e um time que tem jogadores expulsos perde jogos, é estatística. Não gostei da expulsão do Denílson, de 30 anos de idade. A atuação do Alicio (Pena Júnior) não foi boa, está dentro do contexto do futebol brasileiro, não tem do que reclamar depois do jogo", comentou. "Foi uma pena perder o jogo porque nós precisávamos ganhar fora de casa, mas este foi um jogo completamente diferente", disse Leandro, lateral-esquerdo que fez sua 86ª partida pelo Verdão paulista. "A questão é: enfrentar o Goiás em seu domínio é difícil, é preciso tomar cuidados, é preciso marcar primeiro para depois sair para o jogo. O que aconteceu? Nós tomamos os dois gols, no primeiro tempo, porque o palmeiras não jogava mais fechado, não explorava os contra-ataques". Para Luxemburgo, o Palmeiras deve investir na regularidade: "O futebol não é uma ciência exata", disse o treinador do Palmeiras. "No campeonato, só o Flamengo está conseguindo manter uma média. Nós estamos oscilando como todas as equipes, estamos dentro de um contexto, não estamos fora. Agora, se queremos vencer o campeonato precisamos melhor a nossa média em jogos fora de casa", disse o treinador. Para os jogadores do Goiás, vencer o Palmeiras foi uma festa: "Essa vitória nos dá moral", disse o meia Romerito. "Nós fizemos por merecer a vitória", disse Alex Terra, autor de dois gols. "Ganhar de um gigante como o Palmeiras dá moral, significa que estamos dando a volta por cima", acredita o atacante. De fato, o jogo rendeu muito. Nas bilheterias ficaram R$ 288.520,00 de renda proporcionada pelo maior público do Goiás (17.316 pagantes), que amargou oito rodadas na zona de rebaixamento.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasGoiásBrasileirão Série A

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.