Diego Souza quer ficar no Palmeiras

O futuro de Diego Souza no Palmeiras virou um enigma. A Portuguesa flerta com o meia. E Émerson Leão já disse que gostaria de vê-lo com a camisa do São Paulo. O problema é que no próprio Palmeiras são enormes as restrições ao atleta. Boa parte da torcida e um número considerável de conselheiros gostariam de vê-lo bem longe do Parque Antártica. Mas o próprio Diego não vai desistir tão facilmente de seu clube. E ainda conta com o apoio do técnico Candinho. "Jamais fui pressionado a tirar o Diego da equipe. Só sinto má vontade do torcedor com ele. Por isso resolvi preservá-lo, principalmente nos jogos no Parque Antártica. Mas reconheço o seu potencial e sei que ele terá um grande futuro no futebol. Se não for aqui, será em outro clube", diz o técnico.Mesmo com a chegada de Juninho Paulista, que deve formar a dupla de meias com Pedrinho, Candinho não desistirá da recuperação de Diego Souza. O técnico já começou a conversar com o meia. Citou os exemplos de Grafite e de Diego Tardelli, que tinham o mesmo tipo de problema no São Paulo e deram a volta por cima. "O Tardelli chegou até a ir para Barueri e hoje briga pela artilharia do Campeonato Paulista. Respondeu com gols e com belas atuações, assim como o Grafite. É isso que o Diego Souza tem de fazer. Se jogar bem e marcar gols, tudo muda. Se não, vai ter que mudar de clube".O próprio meia já percebeu que está em xeque no Palmeiras. O jogador está tentando se manter longe das polêmicas. Nesta quinta-feira, após o treinamento físico realizado à tarde, em Itu, ele estava entre os votados para as entrevistas, mas não falou. De acordo com a assessoria de imprensa, Diego foi aconselhado pela diretoria a ficar quieto.Apesar do silêncio, o meia deve estar entre os titulares no jogo de domingo, contra o Rio Branco, em Americana (SP). A expectativa de Candinho é a de que ele jogue muito melhor do que na última partida, contra a Ponte Preta.O técnico também não pretende poupar nenhum titular nessa partida. Ele mesmo diz que já tem muito jogador importante fora da equipe. Magrão, Pedrinho, Osmar e Ricardinho, recuperando-se de contusões, estão fora dessa partida. "Meu pensamento é não poupar ninguém porque temos de cumprir a tabela e respeitar quem ainda briga por alguma coisa", argumenta o técnico.A postura de Candinho, no entanto, pode mudar na última rodada do Campeonato Paulista. O jogo contra o Guarani está marcado para domingo, dia 17, dois dias antes de enfrentar o Santo André, pela Copa Libertadores. Se a partida pelo Paulista não for antecipada para o sábado, o técnico se verá obrigado a poupar a sua equipe. "Aí vou ver o que é melhor para a minha equipe. Não posso sacrificar o Palmeiras às vésperas de um jogo tão importante da Libertadores".No treinamento desta quinta à tarde, a novidade foi a presença de Juninho Paulista. O jogador, no entanto, só poderá ser utilizado na próxima fase da Libertadores, se o Palmeiras se classificar. Nesta sexta-feira, depois de uma semana inteira só de treinamentos físicos, Candinho orienta o primeiro treinamento coletivo.

Agencia Estado,

07 de abril de 2005 | 18h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.