Diego Souza quer voltar a ser ídolo

Aos 21 anos, Diego Souza já esteve no céu e no inferno diversas vezes. Agora ele é o ?Henao? do Palmeiras. Assim como o goleiro colombiano do Santos, que Oswaldo de Oliveira só colocava para atuar na altitude devido às vaias da torcida, Candinho só pretende escalar o meia em jogos fora do Parque Antártica.Com coragem, ao contrário de muitos jogadores que fogem dos jornalistas quando têm problemas, Diego deu uma ousada entrevista neste momento ruim. "Eu vou voltar a ser ídolo dessas mesmas pessoas que me vaiam agora", promete.Agência Estado - Por que você está sendo vaiado?Diego Souza - Estão me cobrando porque sabem do meu potencial. Eles não estão felizes com a campanha do Palmeiras no Paulista e tinham de crucificar alguém. Sobrou para mim. Mas vou fazê-los mudar de idéia.AE - Como?Diego - Jogando futebol. Não vou xingar ou criticar nem dizer o óbvio, que eles estão atrapalhando o time deles. Vou jogar o futebol que sei e acabou.AE - Não seria melhor ir embora? O Coritiba foi o primeiro a pedir o seu empréstimo.Diego - Não adianta, a diretoria do Palmeiras não me empresta. Isso é uma ordem do presidente. Já foi assim como presidente Mustafá Contursi e se repete com o Afonso Della Monica. Não adianta. Só me vendem. E a minha multa contratual é de US$ 10 milhões (R$ 27,5 milhões). Assinei até 2008.AE - Você já pediu para ser emprestado?Diego - Sim. Quando estourou no ano passado a história da balada, eu decidi que era hora de sair e procurei a diretoria. Sabia que o Atlético Mineiro, o Cruzeiro e o São Paulo queriam o meu empréstimo. Mas não houve acordo. Só sairia por venda.AE - A paixão do Leão pelo seu futebol é impressionante...Diego - Eu espero um dia ainda trabalhar com ele. Quem sabe ele não vem trabalhar no Palmeiras em 2006? Eu me dou realmente muito bem com o Leão. Talvez ele entenda bem o que é essa história de ?prata da casa?. Ele já acabou com os problemas que o Tardelli tinha com os torcedores do São Paulo. Mas o Candinho está me dando a maior força. Não posso reclamar dele.AE - Não teme ficar marcado como um jogador problemático ?Diego - Não, porque não sou problemático. Tenho 21 anos. Tive uma discussão com um treinador e fui envolvido em uma acusação de estar na balada que não teve fundamento. Não sou problemático.AE - Você era ídolo da torcida e virou o jogador que personaliza a raiva dos palmeirenses.Diego - Isso acontece porque os torcedores precisam descontar a frustração em alguém. Mas quero deixar claro que são poucos torcedores. O pessoal da Mancha e da TUP não tem nada contra mim. Mas não tem problema. Vou voltar a ser ídolo. Essa crise não vai me abalar.AE - Pessoas ligadas ao Vágner Love garantem que ele acha ser uma sacanagem o que acontece com você e que seria melhor sair.Diego - O Vágner é parceiro. Vai sempre me defender. Vou conversar com ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.