ADEMAR FILHO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS
ADEMAR FILHO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS

Diego Souza se diz feliz pelo São Paulo, mas triste com o Sport

Mesmo marcando gol contra o ex-clube, jogador foi aplaudido de pé ao ser substituído na Ilha do Retiro

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

12 Agosto 2018 | 18h49

O meia-atacante Diego Souza viveu um turbilhão de emoções na tarde deste domingo, antes, durante e depois da vitória por 3 a 1 sobre o Sport, na Ilha do Retiro, que manteve o São Paulo na liderança do Campeonato Brasileiro. Autor do primeiro gol do jogo, que ele comemorou discretamente, o camisa 9 ainda foi aplaudido quando deixou o campo, substituído por Tréllez, no segundo tempo.

"Não sabe o quanto era dificil pra mim voltar aqui, ainda mais como rival. Fiz amizade muito boa aqui, me senti em casa. Então, você vir contra seus companheiros é uma situação bem complicada. Mas fico feliz com o resultado, a gente precisava de uma vitória aqui. E fico triste pela situação em que o Sport se encontra. A gente torce para que eles possam se encontrar no campeonato", falou o jogador, na saída do campo.

Atleta do Sport em 2016 e 2017, Diego Souza acumulou 95 jogos com a camisa rubro-negra e 36 gols. A ligação do jogador com o clube foi tão grande que seu perfil no Instagram, por exemplo (@diegosouzads87), faz referência ao número da camisa que ele vestia quando defendia o Leão da Ilha, como é conhecido o Sport.

O primeiro gesto de reconhecimento do público em Pernambuco ao agora são-paulino veio em seguida ao gol que ele marcou aos 30 do primeiro tempo. Assim que tocou para o fundo das redes de Magrão, o jogador fez um coração com as mãos, sinalizando respeito pela torcida da casa, que retribuiu com aplausos. Diego Souza ainda foi cumprimentar o goleiro, seu colega e um dos maiores ídolos da história do Sport.

"A gente é profissional. Eu sempre vou fazer meu melhor. Eu fui feliz aqui dentro e sem dúvidas é diferente", disse, ainda no intervalo, para a Rede Globo, visivelmente emocionado. Quando Diego Aguirre substituiu o artilheiro do São Paulo na temporada (ao lado de Nenê, com 11 gols cada) por Tréllez, aos 31 do segundo tempo, mais uma vez muitos torcedores, alguns de pé, fizeram referência ao atleta.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.