Diego Souza será julgado nesta quarta por agressão

Expulso na estréia no Brasileirão, jogador do Palmeiras pode pegar suspensão de 120 a 540 dias

Juliano Costa, Jornal da Tarde

20 de maio de 2008 | 18h22

Diego Souza, do Palmeiras, vai ser julgado nesta quarta-feira no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (SJTD) por sua expulsão no jogo contra o Coritiba, há dez dias, quando bateu boca e trocou empurrões com o meia rival Carlinhos Paraíba. Se condenado for pelo artigo 253 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que trata de agressão, como quer a promotoria, pode pegar de 120 a 540 dias de suspensão. O advogado do Palmeiras vai tentar desqualificar a acusação, pedindo a absolvição ou a inclusão de Diego em algum artigo mais leve, como o 250 ("ato desleal") ou o 253 ("atitude inconveniente"). Nestes casos, a pena não ultrapassaria três jogos. O técnico Vanderlei Luxemburgo, claro, está preocupado com a possível suspensão do meia. Mas caso ele não seja condenado, fica a pergunta: Diego Souza ainda tem lugar no time? Com a volta de Léo Lima após quatro semanas parado por lesão, e o bom futebol de Martinez e Denilson nas últimas partidas, Luxemburgo fica com seis jogadores para quatro vagas no meio-de-campo, incluindo aí o próprio Diego Souza e os intocáveis Pierre e Valdivia. E isso sem contar os recém-chegados Sandro Silva e Jumar. Com atuações irregulares e um temperamento explosivo (conseguiu ser expulso na final do Paulistão quando o Palmeiras já vencia a Ponte Preta por 5 a 0), Diego Souza é contestado por parte da torcida, que espera dele o mesmo futebol apresentado no Grêmio no primeiro semestre do ano passado. Foi sonhando com aquelas atuações que a Traffic desembolsou R$ 10 milhões para adquirir seus direitos econômicos junto ao Benfica, em janeiro. Isso representa 25% de todo o valor arrecadado para o fundo da Traffic. Diego Souza chegou com o status de maior contratação para a temporada. Mas tem apresentado números modestos, principalmente quando comparado a Valdivia, o outro meio-campista titular durante toda a temporada. Diego fez seis gols, quatro a menos que o chileno, um jogador que, curiosamente, nunca teve características de goleador - como Diego era no Grêmio. Para tentar justificar seu baixo rendimento, o meia já culpou o condicionamento físico (em janeiro) e a falta de entrosamento (em fevereiro). A última alegação é que tem sido escalado fora de sua posição de origem, muito aberto pela direita, "para dar mais liberdade a Valdivia". Mas até Luxemburgo, que admitiu "sacrificar" o camisa 7, já disse abertamente que esperava mais de Diego Souza. O técnico acredita que o problema pode mesmo ser físico. "Temos agora uma caixa de areia, um local de exercícios ideal para jogadores lentos como o Diego ganharem mais arranque", disse. Sobre a possibilidade de ser suspenso nesta quarta-feira, Diego Souza foi direto: "Se forem punir todos os jogadores por lances como esse, não vai ter mais futebol".

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasDiego SouzaSTJD

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.