Diego Souza: situação insustentável

O calvário de Diego Souza no Palmeiras continua. Nesta terça-feira à noite, em Santo André, o meia voltou a sentir a repulsa da torcida palmeirense. Ficou em campo até os 22 minutos do segundo tempo, produziu pouco e quase não pegou na bola. A torcida não perdoou e o vaiou sem dó. Diego poderia ter revertido a situação no segundo tempo, mas pegou poucas vezes na bola e quando o fez, segurou demais o jogo. O meia também teve dificuldade para se posicionar. E não mostrou disposição na marcação, prejudicando o conjunto. Candinho praticamente foi obrigado a substituí-lo por Cristian no segundo tempo. Na saída do gramado, aconteceu o óbvio. A torcida, em coro, o xingou. Diego Souza demorou para deixar o campo. Saiu lentamente, pelo fundo. De repente, como se fosse um maestro regendo sua orquestra, levantou a mão e passou a comandar o coro, em um gesto ainda mais provocativo. Não satisfeito, aplaudiu ironicamente a atitude dos torcedores. A situação, que já era difícil para Diego Souza no clube, deve ficar insustentável depois disso. Além da própria torcida, o jogador sofre restrições também por parte dos conselheiros. Candinho, que apostou no jogador que derrubou Estevam Soares, seu antecessor, não pensa em poupá-lo. "Não tenho mais ninguém canhoto e meia para escalar no lugar do Pedrinho. Se a torcida não gosta dele, o que vou fazer? A questão passa a ser da diretoria. Já sei que o São Paulo o quer, mas enquanto estiver aqui vai jogar", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.