Diego Souza volta; Magrão está fora

Os jogadores do Palmeiras participaram neste sábado de um descontraído treino no CT Rei Pelé e, ao final, o tempo foi destinado a cobranças de pênaltis. Jair Picerni, gripado, preferiu ficar no hotel descansando e Magrão também não participou do treinamento. O volante sofreu quatro pontos no joelho e está fora da partida deste domingo contra a Portuguesa Santista. Ele será substituído por Marcinho. Já Diego Souza, que era dúvida por conta de uma inflamação no joelho esquerdo, treinou normalmente e vai para o confronto.Mesmo caprichando no treino de cobrança de pênalti, os jogadores acham que a decisão ocorrerá durante a partida. "Com a vontade que os dois times estão de ganhar, não é jogo para empate", disse o atacante Vágner Love, que não desperdiçou nenhuma cobrança no teste deste sábado. "Durante a partida ou para definir a vaga na cobrança de pênaltis, estou pronto para fazer a cobrança", comentou o jogador.Baiano, que neste sábado matou saudades do CT Rei Pelé, está fora dessa. "Não gosto de bater pênalti e nem treino para isso", disse o lateral, que não foge a uma cobrança de falta. Ele só bateu duas vezes, assim mesmo por absoluta necessidade: foi o sétimo cobrador em duas decisões. Uma na Espanha, quando jogava pelo Las Palmas, em 2000. "Chutei bem no ângulo e nem dois goleiros pegariam", comentou. No ano seguinte, viveu a mesma situação pelo Atlético. "Tentei repetir, mas a bola subiu muito e foi para fora".Pênaltis à parte, o jogo deste domingo contra a Portuguesa Santista preocupa os jogadores palmeirenses. "É um jogo só e temos de entrar em campo como se fosse a decisão do Paulista", comentou Baiano. Ele entende que jogar contra um time considerado pequeno é sempre mais difícil: "o adversário vai tentar impedir que nossa equipe jogue, tentar matar as jogadas do Palmeiras de todos os lados, ao contrário de quando o jogo é contra time grande, que joga e deixa jogar". Vágner Love também está preocupado com essa partida, "que é só mata". "Vai ser difícil para os dois times", disse ele, confiando na vitória.Dois pesos... - Diante das características desse jogo, que será disputado em Ulrico Mursa, um campo pequeno de gramado ruim, o atacante entende que seu time terá de adotar dois comportamentos dentro de campo: "quando estiver sem a bola, vamos jogar como times pequenos, marcando e correndo muito; quando a bola estiver com a gente, temos que colocá-la no chão e tocar bem".O lateral Lúcio considera a Portuguesa Santista "um time muito aguerrido, que procura os gols nos 90 minutos e tem uma velocidade muito grande, mas sabemos que, como teremos trabalho, iremos perturbar o adversário com nosso meio-de-campo e ataque".O que os palmeirenses esperam mesmo é que o jogo contra o São Gabriel não se repita em Ulrico Mursa. "Eles têm jogadores rodados e vamos ter um jogo limpo", comentou Vágner Love. Baiano tem opinião idêntica: "a Portuguesa tem atletas que atuaram em times grandes e vamos tem uma partida normal, muito disputada".

Agencia Estado,

20 de março de 2004 | 12h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.