Diego Tardelli: 'Eu tenho estrela para decidir, sempre soube'

Atacante exalta suas qualidades pelo gol que fez e deu o título de campeão da Taça Guanabara ao Flamengo

Bruno Lousada e Sílvio Barsetti , O Estado de S. Paulo

24 de fevereiro de 2008 | 19h18

Autor do gol do título da Taça Guanabara, o atacante Diego Tardelli disse que sonhava com uma conquista como a deste domingo. Ele era um dos jogadores mais contentes do Flamengo. "Eu tenho estrela para decidir, sempre soube disso. Graças a Deus pude fazer aquele gol, quando percebi o goleiro do Botafogo um pouco adiantado e tentei encobri-lo. Eu pensei que a bola fosse para a fora, mas ela fez uma curva e entrou."Veja também: Flamengo é campeão da Taça Guanabara com virada: 2 a 1O ex-jogador do São Paulo disse que o mérito do gol do título foi de toda equipe, até pela rapidez e objetividade do contra-ataque que decidiu a Taça Guanabara. O lance teve início com Ronaldo Angelim, passou por Kleberson, Leonardo Moura e finalmente Diego Tardelli. "Eu tive tranqüilidade e frieza. Naquele momento, o jogo estava pegando fogo." Para Diego Tardelli, o chute que garantiu o título da Taça Guanabara ao Flamengo "vai ficar para sempre" em sua memória. "Vou levar esse momento para o resto da minha vida." O goleiro Bruno, também muito emocionado, disse que o Flamengo em qualquer final é muito difícil de ser superado. Ele reconheceu que goleiro tem que ser sorte, referindo-se ao lance do último minuto de jogo, quando o atacante Fábio, do Botafogo, cabeceou a bola na trave. Em seguida, o juiz encerrou a partida. "Ganhar da gente em final, jogando em casa, não é fácil." Mesmo com o braço machucado, por causa de um pontapé sofrido de Edmundo na semifinal da Taça Guanabara, o zagueiro Fábio Luciano não hesitou em levantar a taça e posar para fotos com o troféu conquistado pelo Flamengo. "Nessas horas não tem dor, não tem nada. É meu primeiro título pelo Flamengo e quero curtir muito essa festa", declarou Fábio Luciano, que sofreu o pênalti que deu início à reação do time rubro-negro no clássico. O meia Kleberson entrou bem no segundo tempo e foi um dos responsáveis pela virada do Flamengo. Na comemoração em campo, ele disse que não dava para comparar a alegria do pentacampeonato mundial conquistado pelo Brasil em 2002 com o título da Taça Guanabara. Mas que era "algo especial" ver o que a torcida do Flamengo oferecia aos jogadores rubro-negros no Maracanã.

Tudo o que sabemos sobre:
FlamengoDiego TardelliEstadual do Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.