Diego Tardelli teme ir para o banco

Diego Tardelli anda com a pulga atrás da orelha. O jogador, que foi artilheiro do São Paulo no Campeonato Paulista com 12 gols - cinco atrás de Finazzi, do América, de São José do Rio Preto -, parece não ter lugar garantido entre os titulares enquanto Milton Cruz for o técnico interino. "Vai de cada treinador. Cada um tem o seu atacante preferido. Com o Leão, eu joguei e fui muito bem, Agora, torço para que com o Milton não seja diferente. Só tenho que treinar e mostrar que posso ficar no time."Por muito pouco ele não perdeu o status de titular para Luizão na partida contra o Fluminense, domingo passado, na estréia do São Paulo no Campeonato Brasileiro. O alívio só veio quando chegou ao Maracanã e leu seu nome na escalação.Agora, para o jogo contra o Paraná, sábado, no Morumbi, Diego Tardelli vive a mesma expectativa. "Para todo mundo sair feliz dessa história o melhor era o Milton colocar três atacantes. Quero jogar, não gostaria de sair do time."O esquema com três atacantes é um sonho do técnico interino. Mas para desespero de Tardelli, dificilmente será colocado em prática até que a diretoria decida o treinador definitivo. "Vou fazer de tudo para ser o titular. É difícil fazer uma seqüência de jogos e, de uma hora para outra, sair da equipe. A gente se acostuma com isso e acaba se acomodando e correndo o risco de perder a posição", diz, sem perder o bom humor. "Mas o banco do Morumbi é bem confortável."Apesar de toda a insegurança, Diego Tardelli avisa que tem condições de brigar pela artilharia do Brasileirão. "São vários concorrentes, mas posso estar nessa briga. Só não posso prometer nem dizer quantos gols vou marcar."Nesta quinta-feira, o São Paulo deve confirmar a contratação do atacante Vandinho, de 19 anos, do Paraná. Ele deve ocupar a vaga de Jean, que está de saída para o São Caetano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.