Diego: um palmeirense no gol

Pela sexta vez na temporada, a quarta em partidas oficiais, a torcida palmeirense verá Diego Cavalieri no gol. Mas nem por isso a vida deste paulistano de 21 anos mudou. Ele continua andando sem ser reconhecido pelas ruas do Jabaquara, bairro da zona Sul de São Paulo onde mora. E sonhando em um dia ser titular do seu clube do coração."Vou esperar meu momento. Tenho um objetivo de vida e lutarei para concretizá-lo. Para isso, basta trabalhar e ter em mente que, quando menos esperar, a chance vai aparecer."Nem a perspectiva de que Marcos renove seu contrato com o Palmeiras por mais três anos o incomoda. Diego disse ontem que prefere ficar no banco a pedir para ser emprestado."Não estou em condições de exigir nada. Quero vencer aqui. Sei que o Marcos é um goleiro que já fez muito pelo Palmeiras, e que ainda tem condições de fazer muito mais. Mas vou esperar pela minha chance."Diego não considera o jogo de hoje contra o Santo André o mais importante de sua vida, apesar do grande interesse que está gerando pela possibilidade que o Palmeiras tem de sacramentar a classificação para as quartas-de-final do Paulistão. E aproveita para relembrar suas experiências na Seleção Brasileira Sub-17, que defendeu no Sul-Americano e no Mundial em 1999."Estou começando agora; qualquer partida serve para mostrar meu potencial. No entanto, tenho de fazer o meu papel sem pensar na torcida. Também já vivi momentos importantes na Seleção. E amanhã (hoje), terei a chance de viver mais um. Seria importante se eu continuasse no time para ganhar ritmo, mas tenho consciência de que isso não será possível."Para Jair Picerni, o goleiro está no caminho certo. "Ainda está em formação, mas não deve nada para nenhum goleiro do Brasil."

Agencia Estado,

06 de março de 2004 | 10h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.