Dieta faz Maradona reclamar de fome

Longe dos croissants com creme e doce de leite e dos churrascos que desfrutou intensamente na semana passada, Diego Armando Maradona está sendo submetido a uma rigorosa dieta, que lhe permite apenas a ingestão de 1.300 calorias diárias. O resultado disso é que o ex-jogador reclama todos os dias que tem fome, afirmando que o tamanho das refeições é pequeno.Maradona está acostumado a comer desenfreadamente. Mas a dieta da clínica onde ele está internado, já começa a funcionar. Quando foi internado no dia 18 de abril, o astro argentino pesava 110 quilos. Agora está com 105.O ex-jogador, no entanto, sofre com a dieta, já que seu apetite aumentou por causa da síndrome de abstinência das drogas. Também por causa disso, ele continua de mau humor. Segundo seu advogado, Roberto Damboriana, o astro está "zangado" com sua família, médicos e demais pessoas do círculo íntimo. "Um dia ele entenderá o esforço da família", declarou.Maradona ainda espera ir embora da Clínica del Parque, onde está internado desde o domingo, mesmo dia em que recebeu um telefonema do líder cubano Fidel Castro, que lhe confirmou que a ilha caribenha o espera de braços abertos. Entre fevereiro de 2000 e março deste ano, o ex-jogador realizou em terras cubanas um controvertido tratamento contra a dependência de drogas.Mas o médico pessoal do ex-jogador, Alfredo Cahe, disse que, por enquanto, Maradona permanecerá na Argentina. Roberto Damboriana confirmou. "Não há plano algum de que ele vá para algum outro lugar", revelou o advogado. Informações extra-oficiais provenientes da Clínica del Parque indicam que o astro terá um tratamento prolongado no lugar, de pelo menos seis meses.Notícia do momento - Maradona continua sendo o principal assunto dos programas de fofocas da TV argentina e das revistas populares. Por esse motivo, permanece um forte assédio da imprensa ao redor da clínica onde ele está internado.Como a polícia instalou uma barreira ao redor da clínica, para evitar a aproximação da imprensa e dos fãs, os jornalistas tentam furar o cerco. Diversas casas nas redondezas da clínica foram alugadas por altos preços para que eles possam observar dali o movimento e conseguir alguma imagem de Maradona.Roberto Damboriana pediu aos jornalistas que rodeiam a clínica - localizada no município de Ituzaingó, no oeste da Grande Buenos Aires - que deixem o lugar. A família de Maradona emitiu o mesmo pedido, por "questões humanitárias". No entanto, apenas o canal de TV America 2 acatou a solicitação.O Canal 9, ao contrário, aumentou o cerco e até colocou um helicóptero sobre a clínica, sobrevoando-a durante 20 minutos. Os efeitos foram nocivos para o resto dos pacientes da clínica psicológica, que ficaram perturbados com o barulho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.