Dieta melhora rendimento de Pedrinho

Por trás da boa fase de Pedrinho, titular nas últimas quatro partidas do Palmeiras, está um processo de reeducação alimentar comandado pelo fisiologista Ivan Piçarro. Desde o início do ano, o jogador passou a se submeter a uma dieta composta basicamente de carboidratos (60%), em especial os contidos em massas e frutas, com menor ênfase para as gorduras (25%) e proteínas (15%).A cada três horas, é obrigado a comer (se está treinando, ingere hidratante com repositor energético). Um esforço complementado por sessões de musculação. "A alimentação correta e balanceada faz com que o risco de lesões musculares diminua consideravelmente. E o Pedrinho, um moço diferenciado e inteligente, soube entender essa proposta. Até iniciarmos o trabalho, se alimentava inadequadamente", explica Piçarro, que faz uma ressalva. "A performance é resultado de uma combinação de fatores, da qual a nutrição faz parte."O meia faz questão de valorizar o fisiologista, e explica que nos últimos dias passou à sua empregada uma relação dos pratos que devem ser feitos para o almoço e o jantar. "Eu me sinto melhor, mas a boa fase se deve também à dedicação aos treinamentos. Quem me acompanha sabe que sou o primeiro a chegar e o último a sair de campo."Confirmado para enfrentar o Mogi Mirim, domingo, em Mogi, Pedrinho conseguiu mudar a cara do time, e isso segundo os próprios companheiros. "Com ele, a equipe fica bem mais leve. Ele acabou se tornando o diferencial, porque sabe soltar a bola no momento certo", elogia Corrêa.O meia, porém, não quer nem ouvir falar nesse assunto, e faz questão de condicionar a boa fase à seqüência de partidas. "A necessidade de provar minha qualidade é diária. Como já sabia que não havia mais nenhum resquício das contusões sofridas no passado, o reencontro com o bom futebol era questão de tempo. Provei isso não para mim, mas sim para algumas pessoas que me questionaram."O goleiro Marcos continua sendo dúvida para a partida em Mogi, devido a dores no polegar da mão esquerda. Hoje está prevista sua participação no coletivo, principalmente porque a ressonância magnética a que se submeteu apontou que a contusão não é grave.

Agencia Estado,

11 de março de 2004 | 09h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.