Peter Powell/EFE
Peter Powell/EFE

Dificuldades enfrentadas dão confiança para Inglaterra ir à final, diz Southgate

Ingleses precisam vencer a Croácia para voltar a disputar uma decisão de Mundial

Estadão Conteúdo

09 Julho 2018 | 23h02

O técnico Gareth Southgate afirmou que a confiança da Inglaterra em chegar a uma final de Copa do Mundo após 52 anos é gradual e vem sendo construída aos poucos, ao longo da preparação que antecedeu o início da competição na Rússia. E as dificuldades enfrentadas neste caminho solidificaram a convicção para o time vencer a Croácia nesta quarta-feira, às 15 horas (de Brasília), em Moscou, pela semifinal, e decidir o título no domingo.

+ Inglaterra faz treino fechado e conta com retornos de Henderson e Vardy

+ Croácia tem desfalque na lateral e dúvida no gol para semifinal

Gareth Southgate classificou como "evidências" tudo que a equipe vem passando até agora. Desde os amistosos contra grandes seleções, passando pelos jogos complicados na campanha do Mundial da Rússia, com gol da vitória por 2 a 1 sobre a Tunísia nos acréscimos, na estreia, e a classificação às quartas de final, nos pênaltis, contra a Colômbia.

"A crença vem da evidência de que as coisas funcionam e que você pode obter resultados jogando, treinando e trabalhando da maneira que estamos trabalhamos. E lentamente você obtém pequenos pontos de referência e resultados, como tivemos contra grandes equipes nos jogos de preparação ao torneio, a crença no sistema de jogo, ganhar partidas no final dos jogos, passar por uma disputa de pênaltis... Todas essas coisas constroem a crença na equipe e nos torcedores também", explicou Gareth Southgate ao site da Fifa.

 

Para o treinador, o importante agora é manter a energia e o equilíbrio psicológico, pois os treinamentos são repetitivos.

"Nossos cronogramas estão definidos agora, é uma espécie de 'corte e colagem' para os dias que levam ao jogo. Temos que manter a simulação mental no lugar certo, porque a rotina é boa, mas também você não quer o tédio, não quero uma perda de energia. Acho que, para um jogo como este, há energia suficiente e excitação suficiente, de modo a manter as coisas como estão", concluiu Gareth Southgate, que leva a Inglaterra a uma semifinal de Copa do Mundo depois de 28 anos.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.