Digão, ex-Flu, diz que pagou dívida e contesta risco de prisão

Poucas horas após ser informado de decisão desfavorável na Justiça do Rio de Janeiro, o zagueiro Digão contestou despacho da 2ª Vara Criminal de Duque de Caxias nesta terça-feira ao afirmar que pagou a dívida pela qual corria o risco de ser preso num prazo de até 72 horas.

Estadão Conteúdo

28 de abril de 2015 | 15h26

Mais cedo, a juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza determinara que o ex-jogador do Fluminense fosse preso caso não pagasse a multa de dez salários mínimos. A multa se refere à pena pela qual foi condenado em novembro de 2013 por ter sido pego em uma blitz com uma carteira de habilitação falsificada na madrugada do dia 17 de julho de 2012, em Duque de Caxias.

"Fiquei surpreso com esta notícia, principalmente por já ter pago esse valor no início do ano", contestou o jogador. "Logo, pensei que já estivesse tudo resolvido. Não sei se houve falha de comunicação ou em alguma parte do processo, mas minha advogada já está apurando o erro e resolverá tudo da melhor maneira possível."

A advogada de Digão, Thaís Lemos, explicou que "as providências estão sendo tomadas junto à repartição pública competente, uma vez que o pagamento da referida dívida foi honrado antes mesmo da publicação da determinação da magistrada, como pode ser atestado pelo documento de número 3011315154395, recolhido no dia 9 de janeiro de 2015".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolDigãojustiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.