Dimba marca 2 e Fla vence Coritiba

O Flamengo não precisou jogar bem para derrotar o Paraná hoje, por 2 a 1, no Maracanã, com dois gols do atacante Dimba. Cristian, em bela cobrança de falta, descontou para a equipe paranaense. Até a realização dos jogos de hoje, que completam a 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Rubro-Negro se livrou da zona de rebaixamento, com 26 pontos. Resta, agora, ao time carioca torcer para resultados adversos de Guarani, Botafogo e Paysandu para se manter fora da área de descenso. Já o Paraná totalizou a 15ª derrota na competição e permanece na área de risco, com 23 pontos. "O Flamengo não jogou bem, ao contrário do que ocorreu contra a Ponte Preta, mas venceu. Isso que importa neste momento", declarou o experiente meia Zinho. O início de jogo começou favorável ao Flamengo. Aos cinco minutos, após cobrança de escanteio, o zagueiro Júnior Baiano cabeceou no ângulo esquerdo do goleiro Flávio, que fez boa defesa. O Paraná procurou se defender e explorar o contra-ataque, sem êxito. O atacante Maranhão ainda teve boa oportunidade para abrir o placar, mas Fabiano Eller impediu o chute. Aos 13 minutos, o Flamengo abriu o marcador. Após boa jogada de Ibson, Whelliton arriscou chute de fora da área e Flávio deu rebote. Dimba ainda se chocou com o goleiro, antes de empurrar a bola para o gol vazio: 1 a 0. A partir daí, o nível técnico dos dois times piorou bastante. Aos 36 minutos, o meia Felipe sentiu dores no pé direito e foi substituído por Júnior. "Não estou conseguindo pôr os pés no chão, parece sem apoio. Não dá para continuar", declarou o meia, enquanto era atendido pelos médicos do Flamengo. O começo da segunda etapa não poderia ter sido melhor para o Rubro-Negro. Logo aos três minutos, após cruzamento na área paranaense, Whelliton ajeitou a bola para Dimba finalizar com eficiência: 2 a 0. Parecia que iria virar goleada. Apenas parecia. O Flamengo se mostrou satisfeito com a vantagem no placar e não buscou mais o ataque. Apesar de esbarrar em suas próprias deficiências, o Paraná tentou criar jogadas e passou a incomodar a zaga rubro-negra. Aos 25 minutos, veio a recompensa. O meia Cristian cobrou falta no ângulo direito de Júlio César, que nada pôde fazer: 2 a 1. Preocupado em não ceder o empate, o Rubro-Negro administrou o resultado até o fim do confronto, para alívio de sua torcida, que pouco compareceu ao Maracanã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.