Dinâmica de jogo é arma do São Caetano

Para chegar à final do Campeonato Paulista, o São Caetano terá que superar o Santos nos dois confrontos semifinais. A grande dúvida é qual esquema tático o técnico Muricy Ramalho vai utilizar para segurar, o que ele considera, o melhor time do Brasil no momento. Ele prefere fazer mistério, mas garante que o mais importante é "a manutenção da dinâmica de jogo". Sempre elogiando muito seus jogadores, o técnico acredita que tem à disposição um grupo homogêneo que precisa "se manter concentrado em seus objetivos". Quando assumiu o cargo, no início de fevereiro, Muricy preferiu adotar o esquema 4-4-2 por considerá-lo mais compacto. Mas derrubou o São Paulo, domingo no Morumbi, com o esquema 3-5-2. "O esquema define a disposição dos jogadores em campo, mas é preciso que todos tenham dinâmica, que participem ativamente do jogo, que se movimentem e que busquem o jogo à todo momento", diz o técnico. A opção inicial é manter a mesma formação que atuou no Morumbi. Mas a definição só deve ocorrer na quinta-feira. Nesta terça-feira pela manhã, o treinamento foi apenas para os atletas que não jogaram. Já no período da tarde, o treino foi para todo o elenco. O São Caetano vai treinar em dois períodos até quinta-feira. Alguns jogadores fizeram apenas reforço muscular, como o lateral Ânderson Lima, o meia Marcinho, além dos zagueiros Gustavo e Dininho, que está liberado do departamento médico depois de uma entorse no tornozelo direito. Ele está fora do time há três jogos, dois pelo Paulistão e um pela Taça Libertadores.

Agencia Estado,

23 de março de 2004 | 19h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.