Dinamite lamenta atitude de Eurico

O ex-jogador Roberto Dinamite, ídolo e maior artilheiro da história do Vasco, com um total de 617 gols, afirmou nesta segunda-feira que sua relação com a atual diretoria "ficou inviável" e exigiu respeito, por tudo o que já fez pelo clube. No domingo, durante o empate com a Ponte Preta, por 3 a 3, na estréia do Torneio Rio-São Paulo, o ex-artilheiro foi retirado da Tribuna de Honra do Estádio de São Januário, sob a alegação de que não havia sido convidado para estar no local."Foi uma atitude impensada, de uma pessoa que não me vê com bom olhos", disse Dinamite, se referindo ao presidente do Vasco, Eurico Miranda. "Com essa atitude, a minha relação com a diretoria fica inviável. O Vasco está acima do Roberto e do Eurico. O clube não é de uma pessoa só." Dinamite se emocionou ao falar do episódio, principalmente, ao lembrar que estava acompanhado de seu filho de 10 anos. O ex-jogador explicou que somente foi para a tribuna, porque foi convidado pelo presidente do Honra do Vasco, Antônio Soares Calçada.Eurico se defendeu das acusações, de que teria mandado expulsar Dinamite da Tribuna de Honra, afirmando que somente pessoas portando um convite entram no local. Desta forma, a presença do ex-jogador desrespeitava uma ordem sua. Calçada contestou as explicações do dirigente e frisou que nunca soube desta norma. "Aqui entra todo mundo, até namorada de dirigentes. Duvido que domingo alguém estivesse com convite ", disse.

Agencia Estado,

21 de janeiro de 2002 | 20h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.