Dinelson: de gandula a "Pelé do Brinco"

O Guarani acaba de descobrir uma grande promessa para o futebol brasileiro. É o meia Dinelson, de 17 anos, 1,65 metro de altura e um futebol de raro talento, capaz de impressionar até experientes companheiros. O ?Pelé do Brinco" está recebendo cuidados especiais, mas há quem garanta que ele não ficará tanto tempo em Campinas. Bastaram dois jogos como titular. Na sofrida vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-PR ele foi o melhor em campo, embora não tivesse marcado gol. Prometeu balançar as redes diante do Figueirense e cumpriu a promessa: marcou dois dos três gols da vitória sobre o Figueirense. ?Nosso time está crescendo, por isso tinha certeza de que poderia fazer meu gol." É também com naturalidade que ele relembra que ainda neste Brasileiro ?gandulou" no jogo contra o Vasco, logo na primeira rodada, dia 29 de março. ?Vibrei muito com a aquela vitória (4 a 2) e jamais poderia imaginar que agora estaria no time titular." Os R$ 20 que ganhou para ?gandular", como gosta de falar, gastou com os amigos numa pizzaria. ?Eu sabia que ele era acima da média, mas esperei a hora certa de lançá-lo no time", revela o técnico Barbieri. O gerente de Futebol, Neto Ferreira, prefere preservar o novo craque ao máximo. Após o jogo com o Atlético-PR, Neto proibiu que Dinelson desse entrevistas. ?Assim a gente evita o assédio excessivo da imprensa", justificou o dirigente, que reconhece em Dinelson talento para ganhar destaque como Renato, Careca, Júlio César, Neto, Evair, João Paulo, Mauro Silva, Amoroso e Luizão. Dinelson é baiano, nascido na pequena Anagé, próxima de Vitória da Conquista. Mas aos 6 anos mudou-se com o pai para Taboão da Serra, onde foi descoberto por José Donizete. Dinelson é um meia ofensivo, que se aproxima bastante dos atacantes. Joga em linha reta, sempre em direção ao gols. Cabeça erguida e bom toque de bola. Além de tudo, finaliza com os dois pés. Não é à toa que o Cruzeiro, o maior comprador do mercado interno, já está de olho nele. E aposta no bom relacionamento com os dirigentes bugrinos para apressar o negócio. Dinelson seguiria o mesmo caminho do zagueiro Edu Dracena e do meia Martinez.

Agencia Estado,

28 de julho de 2003 | 18h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.