Lucas Merçon/Fluminense
Lucas Merçon/Fluminense

Diniz critica calendário e tenta minimizar desgaste físico do Flu antes de semi

Após empate na quarta-feira, tricolor carioca terá um total de três jogos em sete dias

Redação, Estadão Conteúdo

04 de abril de 2019 | 12h58

O Fluminense entrou em campo na noite de quarta-feira para enfrentar o Luverdense, pela Copa do Brasil, na cidade de Lucas do Rio Verde, no interior do Mato Grosso, fará o clássico contra o Flamengo, neste sábado, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, pela semifinal do Campeonato Carioca, e na próxima terça como mandante jogará novamente contra os mato-grossenses. O técnico Fernando Diniz mais uma vez reclamou do calendário apertado e disse que vai tentar minimizar o desgaste físico dos jogadores.

"É procurar minimizar os danos que causam uma viagem como essa. Todos sabem que aqui iríamos dormir pouco, a alimentação não seria ideal. Foi cansativo para vir, será cansativo para voltar. Mais incompreensível ainda é, sabendo disso, marcarem nosso jogo para sábado, tendo todas as condições de marcar para domingo. A tabela, de fato, não nos favoreceu, mas agora é saber trabalhar com o que temos. Isso não vai mudar mais. É descansar os jogadores para jogo contra o Flamengo", afirmou o treinador tricolor, ainda em Lucas do Rio Verde.

A volta para casa, nesta quinta-feira, passa por uma viagem de ônibus de Lucas do Rio Verde até Cuiabá - cerca de quatro horas - e outra de avião da capital do Mato Grosso até o Rio de Janeiro - mais duas horas. Os jogadores terão um breve descanso e se reapresentarão na manhã desta sexta no CT Pedro Antônio para o único treino antes de enfrentar o Flamengo.

"Vira a chave totalmente, agora estamos pensando no Flamengo. Não pensamos enquanto não acabou o jogo, pois sabíamos da dificuldade que seria, mas agora é pensar no Fla-Flu. É descansar bem o time e preparar para fazer um grande jogo no sábado", disse Diniz.

Para o clássico, o treinador não poderá contar com o meia Paulo Henrique Ganso, que foi expulso no final do duelo contra o mesmo Flamengo, na quarta-feira da semana passada, pela semifinal da Taça Rio - o segundo turno do Campeonato Carioca. "Jogamos muitos jogos sem o Ganso. É saber suprir a falta dele", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.