Alex Silva / Estadão
Alex Silva / Estadão

Diniz discorda de Hernanes, mas afirma: 'Precisamos melhorar'

Técnico diz que derrota para o Fluminense 'cria certa instabilidade' no São Paulo

Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

07 de novembro de 2019 | 22h50

Após Hernanes dizer que foi vergonhoso o São Paulo ter perdido para o Fluminense nesta quinta-feira, o técnico Fernando Diniz discordou do jogador. Para o treinador, a equipe vinha tendo boa atuação até sofrer o gol aos 36 minutos do primeiro tempo. O segundo gol adversário foi marcado aos 39. 

Diniz, porém, afimou que a derrota cria "certa instabilidade". O São Paulo briga pelo G-4 do Campeonato Brasileiro e perdeu para um adversário que luta contra a zona de rebaixamento.

"Vergonha temos que ter de perder em casa. Tivemos dificuldades, mas não achei a partida vergonhosa. Perder em casa na situação que estamos almejando, o G-4, cria uma certa instabilidade. Não achei que foi vergonhosa, mas jogamos mal e precisamos melhorar. O desempenho foi muito ruim", disse o treinador.

Diniz gostou da postura do São Paulo até o primeiro gol sofrido. O técnico disse que o time teve a pior atuação sob o seu comando após o Fluminense abrir o placar. Com Diniz, o São Paulo soma cinco vitórias, dois empates e três derrotas.

"Assustado (com a atuação), não, de maneira alguma. Até o gol, estávamos fazendo uma partida dentro do que foi planejada. Depois do primeiro gol, que nasceu de uma falta descenessária e tivemos uma falha na marcação, o time deu uma desestabilizada e mais ainda depois do segundo gol", analisou.

Na volta do intervalo, Diniz colocou Hernanes e Alexandre Pato nas vagas de Jucilei e Liziero. O treinador lamentou que as substituições não surtiram o efeito esperado. 

"Faltaram mobilidade e muitas outras coisas. O Fluminese abaixou as linhas e se defendeu bem em pouco espaço. Tivemos muitas dificuldades para criar, não só para concluir", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.