Rubens Chiri/São Paulo FC
Rubens Chiri/São Paulo FC

Diniz projeta reforços no São Paulo, mas diz: 'Não tem como contratar sem critério'

Treinador lembra desfalques por lesão e condena oscilação da equipe no Brasileirão

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2020 | 05h00

O técnico Fernando Diniz projetou reforços para o elenco do São Paulo, mas avisou que não pedirá contratações "sem critério". Apesar de aprovar o elenco tricolor, o treinador lembrou dos desfalques recentes que teve por causa de lesão. O São Paulo perdeu Daniel Alves, que fraturou o braço, e Pablo, com uma contusão na costela. A próxima janela de transferências internacionais fica aberta entre 13 de outubro e 9 de novembro.

"Podemos até pensar em algum momento em preservar jogadores com a rotina mais desgastante, mas não tivemos até agora lesões por conta do acúmulo de jogos, eles estão bem preparados. Perder jogador importante é sempre ruim. Eu gosto do elenco, com jovens promissores. Só que a gente não contava perder o Pablo e o Daniel nessa altura do campeonato. Não tem como fazer reposições sem critério, é muito difícil de contratar. Talvez na próxima janela vamos ter alguma contratação pontual. Temos que trabalhar, ter mais coesão e parar de oscilar", afirmou Fernando Diniz.

O São Paulo está entre os primeiros colocados do Campeonato Brasileiro e apenas empatou em casa com o Red Bull Bragantino, que está na zona de rebaixamento. Para Fernando Diniz, a equipe precisa oscilar menos para brigar pelo título nacional.

"O que me preocupa mais é a oscilação, precisamos ser mais consistentes. Um time que está pensando em ganhar campeonato precisa manter a consistência. Vai haver sempre a oscilação em todos os times, mas temos que diminuir isso. Precisamos trabalhar para que o time seja mais coeso em todos os aspectos", analisou o treinador.

Fernando Diniz lamentou o empate com o Bragantino, embora o adversário tenha perdido duas cobranças de pênalti. Ao contrário de Hernanes, que viu o São Paulo no lucro com o ponto ganho no Morumbi, o técnico afirmou que o São Paulo precisava ganhar.

"É essa oscilação que não podemos. Esse campeonato é muito difícil, e uma das coisas do time que que vai ser campeão é oscilar menos. A gente não pode oscilar como está oscilando. Tínhamos que ganhar os três pontos dentro de casa. Temos que ter um nível de concentração nos jogos e de entrega mais linear para podermos alcançar nosso objetivo", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.