LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

Diniz vê importância no título da Taça Guanabara: 'É o charme do futebol carioca'

Título será disputado neste domingo, às 17 horas, no Maracanã, contra o Vasco

Redação, Estadão Conteúdo

15 de fevereiro de 2019 | 09h14

Com um gol nos acréscimos do segundo tempo, o Fluminense derrotou o Flamengo por 1 a 0, na noite de quinta-feira, no estádio do Maracanã, e se classificou à final da Taça Guanabara - o primeiro turno do Campeonato Carioca. O título será disputado neste domingo, às 17 horas, no mesmo local, contra o Vasco. O técnico tricolor, Fernando Diniz, sabe que a conquista é apenas simbólica, mas quer o troféu para os torcedores.

"O que tem é o charme do futebol carioca, que não tem em lugar nenhum do Brasil, o valor simbólico muito grande. Vamos disputar o título que não te dá a vaga na final, mas simbolicamente para o torcedor é uma decisão e tem toda essa carga emocional. O torcedor tem um domínio muito grande no que acontece, faz parte de uma maneira muito forte, para o torcedor é muito importante", disse.

O clássico contra o Vasco já aconteceu nesta Taça Guanabara. Pela fase de classificação, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, no início deste mês, o rival alvinegro ganhou por 1 a 0. Fernando Diniz vê um Fluminense melhor do que o que jogou na capital federal.

"É difícil falar o que deixou de ser feito lá em Brasília. O time vai evoluindo com o tempo. A gente espera fazer um jogo melhor no domingo. Os times têm características opostas, a gente poderia ter vencido lá. Foi uma partida equilibrada. A equipe deles é boa, bem treinada e terá um dia a mais de descanso. Vamos virar a página e nos prepararmos física e emocionalmente para essa decisão", afirmou o treinador.

Feliz com a vitória sobre o Flamengo, Fernando Diniz comentou sobre a sua comemoração no gol de Luciano. Junto com os jogadores que estavam no banco de reservas, correu cerca de 50 metros para abraçar o herói do clássico. "Na hora do gol, da emoção, a gente não pensa, sou assim mesmo, reação instintiva. A gente tem que extravasar com um gol como esse e não tenho como conter uma emoção natural como foi essa", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.