Diogo Rincón, Finazzi, Bóvio e Alessandro liberados

Recuperados de contusão, eles já estão na mão do preparador físico Flávio Trevisan para voltar à forma

Agência Estado

24 de março de 2008 | 17h34

De uma só vez, o departamento médico corintiano liberou quatro jogadores para a comissão técnica: o meia Diogo Rincón, o volante Bóvio, o lateral-direito Alessandro e o atacante Finazzi. Recuperados de contusão, eles já estão sob a batuta do preparador físico Flávio Trevisan, mas ainda precisam voltar à forma. Veja também: Corinthians acerta a contratação de Douglas, do São Caetano Confira as chances de classificação dos clubes no Paulistão Dos quatro, somente Diogo Rincón deve jogar contra o Santos, quarta-feira, no importante clássico da Vila Belmiro. Ele é o que teve o problema menos grave (pancada no joelho direito contra o Juventus, no dia 15 de março) e já havia antecipado a recuperação física. Bóvio e Alessandro tiveram lesões musculares - no caso do segundo, foi um pouco mais séria, na coxa esquerda, que o deixou fora do time por mais de um mês. Eles, porém, podem até estar à disposição do técnico Mano Menezes no jogo contra o Marília, domingo, no Morumbi. Já o caso de Finazzi é o que mais intriga. O atacante foi afastado oficialmente em 8 de fevereiro, para tratar de dor no joelho esquerdo, o que seria causado por uma tendinite. Seu último jogo foi em 30 de janeiro, no empate sem gol contra o Sertãozinho. Finazzi já sentia essa dor desde o ano passado, quando precisou tomar remédio (por meio de injeções) para jogar as rodadas finais do Campeonato Brasileiro (ficou fora das duas últimas partidas, mas por suspensão). Segundo Mano Menezes, a dor impediu que Finazzi fizesse uma boa pré-temporada em Itu (cidade a 100 km de São Paulo), em janeiro, o que o deixou muito abaixo do restante do time.  Por tudo isso, a previsão inicial do Corinthians era de que Finazzi voltasse a jogar em três semanas. Mas o afastamento dele já dura 46 dias, ou seis semanas - o dobro do tempo previsto. Agora, no entanto, parece que ele finalmente está de volta. O clássico de quarta-feira, com o Santos, é contra um rival direto na briga por uma das vagas na semifinal do Paulistão. Se o Corinthians vencer, praticamente elimina o adversário, que atualmente está quatro pontos atrás (30 a 26). Mas se perder, ficará com um de vantagem faltando duas rodadas. "Com certeza será um jogo complicado, por ser na Vila Belmiro. Mas não tememos ninguém", avisou o volante Fabinho.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.