Direção da Ponte Preta descarta contratação do goleiro Agenor, do Joinville

Desde que perdeu Marcelo Lomba - o Bahia se recusou a emprestar o jogador por mais uma temporada -, a Ponte Preta colocou como prioridade a contratação de um goleiro para a disputa do Campeonato Paulista. Nomes como Aranha, ex-Palmeiras, Magrão, do Sport, e Julio César, ex-Corinthians, foram especulados, mas é Agenor quem ganhou força nos últimos dias.

Estadão Conteúdo

22 de janeiro de 2016 | 19h25

A diretoria, porém, negou ter procurado Agenor, que teria uma proposta do Spartak Moscou, da Rússia, principal interessado por seu futebol. A assessoria do time campineiro afirmou que trata-se de um bom jogador, mas que nunca foi procurado.

Agenor foi rebaixado como Joinville no último Campeonato Brasileiro, mas acabou saindo como um dos destaques. Ele tem uma média de 1,5 defesa difícil por partida, o que faz com que seja peça fundamental da equipe na Série B, fator que pesa contra a Ponte Preta. Por outro lado, o jogador não descartou deixar o time catarinense para jogar novamente à elite do futebol. O intuito principal, porém, é se transferir para a Europa.

O goleiro tem contrato com o Joinville até o final da temporada e não dever ser liberado tão facilmente. Uma possibilidade é renovar com o clube catarinense por mais um ano e ser emprestado até dezembro para a Ponte Preta. A segunda opção é o clube campineiro arcar com uma compensação financeira. A vontade do jogador pode pesar na negociação.

Para o Paulistão, existe a disposição de testar os reservas de Marcelo Lomba no Brasileirão: João Carlos e Matheus. O terceiro goleiro seria Ivan, de 1,92 metros de altura, emprestado pelo Flamengo e que disputou a Copa São Paulo de Futebol Júnior.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPonte Preta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.