Biel Aliño/EFE
Biel Aliño/EFE

Direção do Everton ignora protesto da torcida e contrata o técnico Rafa Benítez

Motivo das reclamações dos fãs é a passagem do espanhol pelo rival Liverpool entre 2004 e 2010

Redação, Estadão Conteúdo

30 de junho de 2021 | 12h22

A diretoria do Everton anunciou nesta quarta-feira a contratação do técnico espanhol Rafa Benítez para o lugar do italiano Carlo Ancelotti, que foi para o Real Madrid. O contrato é de três temporadas, e ele iniciará os trabalhos em campo na próxima semana. Mas a sua chegada é cercada de polêmica por causa da rejeição de parte da torcida, que o vê muito ligado ao Liverpool. Benítez trabalhou no clube rival de 2004 a 2010 e conquistou um título da Liga dos Campeões da Europa.

"Podemos confirmar que Rafael Benítez é o nosso novo treinador. Rafa é um vencedor comprovado, com grande experiência em como técnico e nós garantimos que escolhemos o melhor homem para o cargo", disse Farhad Moshiri, acionista majoritário do Everton.

"Estou muito feliz por trabalhar no Everton. Ao longo deste processo, fiquei muito impressionado com a ambição demonstrada pelos dirigentes, o desejo de triunfar com esse clube histórico. Estou determinado a desempenhar um papel importante em ajudar este grande time a alcançar suas ambições", disse Benítez ao perfil oficial do clube de Liverpool.

Na última segunda-feira, torcedores do Everton voltaram a mostrar o seu descontentamento com a possibilidade, naquele dia, de Rafa Benítez ser contratado. Uma faixa com os dizeres "Sabemos onde você mora. Não assine o contrato" foi colocada em uma área próxima à casa do técnico, em Wirral, na Inglaterra, onde mora com a esposa e as duas filhas desde que treinou o Liverpool. Antes, as manifestações contrárias à sua contratação foram feitas nas imediações do estádio Goodison Park, casa do clube.

O técnico de 61 anos também dirigiu ao longo de sua carreira clubes como Valencia, Internazionale, Chelsea, Napoli, Real Madrid e Newcastle. Seu último trabalho foi no Dalian Pro, da China.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.