Diretor cobra uma reação do Fluminense já no clássico de domingo

Um dia após queda da Copa do Brasil com goleada do América-RN, Paulo Angioni disse que a resposta tem de vir diante do Botafogo

Estadão Conteúdo

14 de agosto de 2014 | 20h13

O dia seguinte à eliminação na Copa do Brasil foi de mobilização no Fluminense. Antes do treinamento marcado para a tarde desta quinta-feira, a diretoria do clube se reuniu com os jogadores por cerca de uma hora para cobrar uma reação, após a goleada por 5 a 2, para o América-RN, no Maracanã.

Depois da conversa com os jogadores, o diretor executivo do Fluminense, Paulo Angioni, espera uma reviravolta a partir do clássico com o Botafogo, no domingo. "O momento é de reflexão, a tristeza tem que permanecer, mas não atrapalhar. O grande salto de qualidade é olhar para o jogo do Botafogo e superar [o revés] nessa caminhada no Brasileiro que tem sido muito satisfatória", destacou o dirigente.

O zagueiro Fabrício teve uma atuação muito ruim na partida, foi bastante vaiado, mas Angioni aproveitou para eximir o jogador pela culpa da derrota. "Ele é um ser humano. Daremos o dever de conforto, que é o que nos cabe. É momento de total apoio", declarou o diretor.

Apesar da goleada, o técnico Cristóvão Borges segue com prestígio no clube, que já mostrou interesse em renovar por mais um ano o contrato do técnico, vigente até 2015. "Dependendo das conversas com o Cristóvão, com o Mário Bittencourt (vice-presidente de Futebol) e com a patrocinadora, há o interesse em tê-lo até o fim do mandato (do atual presidente)", informou Angioni. No Campeonato Brasileiro, o clube ocupa a 4ª colocação, com 26 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminensebrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.