Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Diretor da CBF é investigado pela PF

A Polícia Federal admite que está investigando a possibilidade de o diretor jurídico da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Carlos Eugênio Lopes, ser um dos suspeitos de envolvimento na tentativa de suborno do relator da CPI do Futebol no Senado, Geraldo Althoff (PFL-SC). Além disso, até a próxima semana os resultados da comissão deixam a esfera Legislativa vão para a área policial. A PF está com uma equipe formada para atuar nas investigações já levantadas pela CPI. O nome de Lopes aparece a partir das investigações da PF em torno de João Guilherme dos Santos Almeida, principal suspeito de ter feito a tentativa de suborno ao senador, por meio de um de seus assessores. Almeida teria ligado de um hotel no interior de Santa Catarina para a casa do diretor da CBF. "Estamos verificando se a ligação foi mero acaso ou Carlos Eugênio Lopes está realmente ligado à tentativa de suborno", diz um delegado da PF que atua nas investigações. Hoje, agentes da PF estiveram na sede da CBF a fim de entregar uma notificação para Carlos Eugênio Lopes. O advogado não foi encontrado. Por dentro - Quando receber o relatório final das investigações da CPI, a PF não terá muito trabalho para começar a levantar as falcatruas já identificadas pela Comissão. Um delegado - Luis Carlos Zubcov - pertencente aos quadros da Polícia Criminalística Internacional (Interpol) acompanhou todo o trabalho dos senadores. "Temos diversas frentes de investigações, inclusive diligências já adiantadas à respeito da tentativa de suborno do relator da CPI", afirma um influente delegado da PF. "Por isso, devemos abrir logo vários inquéritos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.