Bruno Cantini/Atlético-MG
Bruno Cantini/Atlético-MG

Diretor do Atlético-MG nega proposta feita para Rogério Ceni: 'Não tem nada'

Rui Costa elogia técnico do Fortaleza, mas afirma que ainda não houve contato com o ex-goleiro

Redação, Estadão Conteúdo

24 de abril de 2019 | 10h54

O clima não anda nada bom pelos lados do Atlético-MG com a perda do título do Campeonato Mineiro, para o rival Cruzeiro, e com a eliminação na fase de grupos da Copa Libertadores, com a derrota para o Nacional, do Uruguai, em Belo Horizonte. Isso tudo sem um técnico contratado depois da demissão de Levir Culpi há quase duas semanas - Rodrigo Santana é o interino desde então. E, por enquanto, não há nada de concreto para a chegada de um novo comandante, que pode ser Rogério Ceni, atualmente no Fortaleza.

De acordo com o novo diretor de futebol do clube, Rui Costa, nenhuma proposta oficial foi feita para o ex-goleiro. "Eu disse e vou repetir. Eu acho o Rogério Ceni um excelente profissional, como acho tantos outros. Tenho até ouvido, sempre com muito respeito, algumas manifestações dos dirigentes do Fortaleza, até fazendo juízo de valor, que considero prematuro e injusto, porque não fizemos qualquer proposta. O próprio Rogério disse isso. E mais. O Rogério jamais aceitaria negociar com quem quer seja. Ele tem condições de ser o treinador do Atlético-MG, mas não tem proposta. Não tem nada", afirmou.

Logo após a derrota para o Nacional-URU, no estádio do Mineirão, o dirigente teve de explicar qual o perfil de técnico que o Atlético-MG procura. "O perfil que todos os clubes querem hoje. Um treinador que tenha conceitos muito claros, que entenda a grandeza do clube, que proponha o jogo de forma protagonista. Claro que, hoje, um treinador precisa fazer parte da rotina diária do clube. Que tenha a capacidade de entender o que o clube precisa, que seja um parceiro do clube, que tenha conceitos modernos de futebol. Queremos alguém que possa atender a grandeza do Atlético", disse.

Além da procura por um técnico, as atenções do Atlético-MG se voltam para a estreia no Campeonato Brasileiro, neste sábado, em casa, contra o Avaí. E ela será com Rodrigo Santana no comando do time, ainda como interino.

"A condição de interinidade do Rodrigo sempre foi clara, desde o momento que nós anunciamos ele e desde o momento em que eu me reuni com ele. Deixamos ele à vontade para tomar todas as decisões. Ele tem total autonomia e legitimidade da direção - e minha, sobretudo, que estou diretamente no dia a dia, com ele -, para que ele faça aquilo que ele acha que é o melhor para o Atlético. E tem sido algo que a gente percebe que tem gerado um crescimento", comentou Rui Costa.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolAtlético MineiroRogério Ceni

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.