Epitácio Pessoa/Estadão
Epitácio Pessoa/Estadão

Diretor do Corinthians critica postura de Martínez

O clube aceita liberar o atacante argentino por R$ 12 milhões

AE, Agência Estado

28 de dezembro de 2012 | 20h54

O atacante argentino Martínez, insatisfeito com a reserva no Corinthians, entrou em rota de colisão com diretoria. O clube agora já aceita liberá-lo e até estipulou um preço: R$ 12 milhões.

Segundo o diretor de futebol Roberto Andrade, o Corinthians não tem interesse em emprestar o jogador, como sugeriu o Boca Juniors. De acordo com o dirigente, Martínez só deixa o clube se for vendido.

"Não queremos o valor da multa rescisória. Pedimos 6 milhões de dólares (R$ 12 milhões). O Boca não nos procurou, apenas o presidente perguntou ao presidente Mário Gobbi se ele tinha interesse em emprestá-lo. Mas não temos o interesse", disse o dirigente, em entrevista à Rádio Globo.

Antes da disputa do Mundial no Japão, Martínez disse que, se continuasse na reserva corintiana em 2013, gostaria de ser negociado. Voltar ao futebol argentino seria uma opção - o atacante jogava no Velez Sarsfield e custou ao Corinthians cerca de R$ 6 milhões.

Roberto de Andrade disse que não adianta o jogador fazer pressão para ser titular pela imprensa. Segundo ele, para conquistar vaga no time do técnico Tite, é preciso demonstrar seu valor dentro de campo.

"O Martínez, na minha opinião, quer ser titular pelos microfones das rádios, mas, desculpa, não vai ser. Não é assim. Se não jogar dentro de campo, não se empenhar, não vai ser", afirmou Roberto de Andrade. "Não é porque foi caro que vai jogar. Ele sabe como funciona (no Corinthians), vai jogar quem estiver melhor."

Com a chegada de Alexandre Pato, cuja contratação deve ser oficializada na próxima quinta-feira, a chance de Martínez conquistar uma vaga de titular diminuiu ainda mais. Além do argentino, o elenco corintiano já conta com Emerson, Guerrero, Romarinho e Jorge Henrique para o ataque.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansMartínez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.