Ueslei Marcelino/Reutes
Ueslei Marcelino/Reutes

Diretor do Corinthians diz que negociação com Drogba foi amadora

Flávio Adauto critica o andamento das conversas com o jogador marfinense

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

04 Fevereiro 2017 | 20h18

O diretor de futebol do Corinthians, Flávio Adauto, que desde o início das negociações com o atacante Didier Drogba, se mostrava pessimista com o acerto, mais uma vez mostrou seu descontentamento com a negociação e disse que o clube foi amador na forma com que tratou o assunto. 

"Gostaria até que ele viesse, mas ano que vem a gente tem que ter os pés no chão e ser mais profissional. Foi muito amador o início dessa negociação e ficaria felicíssimo se ele chegasse, mas eu não acreditava que daria certo", disse o dirigente, em entrevista coletiva após a vitória do Corinthians por 1 a 0 sobre o São Bento.

Adauto ainda destacou que a negociação partiu do marketing do clube e não teve a participação da diretoria de futebol. "Se lembrarem lá atrás, em que eu dizia que ele não viria, eu tinha uma convicção, e essa convicção foi confirmada. Depois de quase 20 dias de conversas, disseram que o departamento de futebol rachou com marketing. Mas foi uma ação inicial do marketing, depois fomos consultados e em nenhum momento tive entusiasmo com a vinda dele, porque foi equivocado desde o começo e terminou de uma forma que eu já esperava", comentou o dirigente.

Durante a negociação, Gustavo Herbetta, ex-superintendente de marketing do Corinthians viajou para a Europa em busca dos representantes do jogador, para tratar sobre o assunto. Após muitas conversas, o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, acabou falando diretamente com o jogador, que agradeceu ao convite, mas disse ter outros planos, que não atuar no futebol brasileiro. 

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
Corinthians Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.