Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Diretor do Flamengo rebate corintiano e nega vinda de Felipe Melo

Rodrigo Caetano defende clube carioca sobre o assunto arbitragem no dia seguinte ao erro durante jogo pelo Campeonato Brasileiro

O Estado de S. Paulo

31 de julho de 2017 | 20h25

O diretor-executivo do Flamengo, Rodrigo Caetano, concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira e abordou temas polêmicas que envolvem o noticiário do clube. O dirigente devolveu reclamações de jogadores do Corinthians sobre favorecimento ao time carioca pela arbitragem na partida do último domingo, rebateu declarações do Botafogo e ainda falou sobre o possível interesse em Felipe Melo, do Palmeiras.

Ao fim do empate em 1 a 1 no domingo, pelo Campeonato Brasileiro, o lateral Guilherme Arana, do Corinthians, afirmou que é normal a arbitragem querer tirar ponto da equipe. "Ele é um jovem, mas tem que cuidar sas palavras. Há um tempo, um dos nossos atletas disse algo nesse sentido de falar algo fora do tom e tem que cuidar disso. Querer rotular Flamengo como sendo favorecido não vou aceitar, porque gera indignação", comentou Caetano.

Na partida na Arena Corinthians, a arbitragem anulou um gol legítimo do Corinthians no primeiro tempo, quando o jogo ainda estava empatado em 0 a 0. No lance foi considerado posição irregular de Jô, que estava atrás da linha da bola no momento da assistência de Maycon.

Caetano falou também sobre o possível interesse em Felipe Melo. O volante do Alviverde, revelado pelo Flamengo, está de saída do clube depois de ser afastado pelo técnico Cuca. Mas, por enquanto, não despertou o interesse do Flamengo em ir atrás e buscar a contratação. "Neste momento, não há nada. Temos amigos em comum, ele tem grande história no futebol e no Flamengo. Quando observamos, olhamos número de atletas, mercado, questão financeira. Nada foi ventilado até o presente momento. Por isso, hoje não temos nada sobre o Felipe Melo", disse.

O dirigente falou também sobre a semifinal da Copa do Brasil, daqui duas semanas, contra o Botafogo. O presidente do time adversário, Carlos Eduardo Pereira, manifestou dias atrás a preocupação com possíveis erros de arbitragem no confronto. O assunto irritou Caetano, que considerou a crítica do botafoguense descabida.

"Quando o Flamengo se sentiu prejudicado, fez o que a comisssão de arbitragem diz para fazer. Fez reclamação e recebeu respostas por cada um dos lances. Nosso protocolo é esse. Para fazer qualquier tipo de ilação e até mesmo ironia temos que ter tresponsabilidade", afirmou o executivo do Flamengo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.