Diretor do Mönchengladbach também é ameaçado de morte

Peter Pander, diretor esportivo do Borussia Mönchengladbach, disse nesta terça-feira que também recebeu ameaças de morte, assim como o ex-técnico do clube, Jupp Heynckes. "Não vou deixar o cargo. A situação será normalizada", afirmou Pander ao jornal Wolfsburger Nachrichten. Ele confirmou as ameaças de morte, mas não quis dar detalhes sobre as mesmas. Segundo o porta-voz do clube, a Polícia já investiga o caso, segundo o qual as ameaças aconteceram após a partida de 27 de janeiro contra o Energie Cottbus. Heynckes pediu demissão do cargo há uma semana, após uma seqüência de maus resultados, e confessou também ter recebido ameaças, mas disse que elas não precipitaram sua decisão de deixar o clube. Seu posto foi assumido pelo holandês Jos Luhukay.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.