Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Diretor do Palmeiras diz que time se fortaleceu em viagem durante a Copa

Alexandre Mattos cita a ida à América Central como fundamental para montar ambiente do elenco

O Estado de S. Paulo

20 de setembro de 2018 | 14h00

O diretor do futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, afirmou nesta quarta-feira que a viagem do Palmeiras para a América Central durante a parada para a Copa do Mundo contribuiu bastante para o elenco. Na opinião do dirigente, os amistosos e a convivência do time durante a passagem por Panamá e Costa Rica foi importante para fortalecer o ambiente e o companheirismo.

"O Palmeiras não foi lá para fazer amistosos, com todo respeito, porque fomos muito bem recebidos. O Palmeiras foi lá se preparar, para criar um ambiente onde a gente do dia a dia detectou uma necessidade de convivência maior", disse em entrevista ao canal SporTV. "Conseguimos romper algumas barreiras de um ambiente que já era bom. Não é só coleguismo, precisamos criar uma cumplicidade e uma amizade", afirmou.

No Panamá, em junho, o Palmeiras disputou amistosos com o time local do Árabe Unido e depois diante do Independiente Medellín, da Colômbia. Logo depois o clube seguiu para a Costa Rica, onde enfrentou a equipe do Liga Alajuelense antes de voltar ao Brasil. Na época o técnico ainda era Roger Machado, demitido semanas depois para a vinda de Luiz Felipe Scolari.

A chegada do treinador experiente, segundo Mattos, foi essencial para fortalecer o ambiente de união do Palmeiras. "A chegada dele aflorou algumas situações, até pelas características próprias dele, de ser um cara próximo, de diálogo olho no olho. Em sua carreira, sempre fez as famosas 'famílias Felipão'. A gente sabia que poderia aflorar algumas situações que estavam adormecidas", comentou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.