Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Diretor promete Palmeiras forte em 2006

"Vamos montar um dos melhores times do futebol brasileiro, em 2006." A frase acima, do diretor de Futebol do Palmeiras, Salvador Hugo Palaia, se demonstra otimismo com a chegada do treinador Emerson Leão, apresentado nesta segunda-feira no CT do clube, por outro lado mostra uma paciência dos dirigentes que talvez não seja compactuada pelos torcedores. "Sim, nosso planejamento sempre foi ter uma grande equipe apenas em 2006", reforçou o cartola. "Para ganharmos algo este ano, teremos não só de nos acertar, mas também ter muita sorte, é bem difícil", concluiu Palaia.O recém-contratado cai com uma luva nos planos da direção do Palmeiras. "É uma meta nossa (da diretoria) que o técnico tenha contato e proximidade com as categorias de base, e essa é uma característica do Leão. Ele sabe formar um grande time", disse Palaia, que entregou ser seu sonho ver o treinador no cargo há cerca de um mês, desde que Leão retornou do Japão, onde trabalhou rapidamente no Vissel Kobe. Para não parecer que virava as costas ao ex-técnico, Paulo Bonamigo, a quem defendia até a semana passada, o diretor de Futebol elogiou-o. "O Bonamigo fez um grande trabalho e se esforçou para buscar os garotos do time de baixo. Faltou sorte."O presidente palmeirense, Affonso Della Monica, por sua vez, não foi tão diplomático com Bonamigo ao apresentar seu substituto. "Nós montamos um grande time este ano, trouxemos excelentes jogadores e, agora, temos um treinador de primeira linha, à altura."Indo ao encontro da declaração de Leão, de não pretender mandar nenhum jogador embora ou pedir reforços a curto prazo, Palaia afirmou que os cofres estão fechados este ano. "Não vem mais ninguém, o time é esse aí." Mas deixou uma abertura para negociações com o técnico. "Se ele achar que temos de mudar alguma coisa, vamos conversar para encontrar o melhor para o clube, confiamos em suas análises."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.