Diretoria da Matonense pede união

A diretoria da Matonense está tentando fazer o possível para evitar que a situação da equipe no Campeonato Paulista da Série A-1 piore, pois o time ocupa a última posição na classificação. Para isso, o discurso adotado nesta semana é o de união. "Precisamos nos unir para que o time consiga mudar a situação. E tem que ser uma união de todos, não só dos jogadores como da torcida e da diretoria", afirma o técnico Mauro Fernandes. A busca por essa união aparece na tentativa de trazer a torcida para o estádio no jogo de domingo contra a Ponte Preta. Os dirigentes anunciaram que o preço do ingresso será de apenas R$ 3. "Mas já avisamos que esse preço só valerá até sábado às 11 horas. Depois disso, o preço do ingresso voltará para o preço normal, de R$ 5", diz o diretor de futebol do clube, Luiz Giglioli. A esperança dos dirigentes é que os torcedores lotem o estádio Hudson Buck Ferreira como nas partidas contra o Corinthians e o São Paulo. Os jogadores também esperam repetir a mesma atuação da partida contra o Corinthians, quando conquistaram a única vitória até o momento na competição. "Vamos conseguir reverter o panorama e para isso temos que nos unir em torno de um bom desempenho e em busca da vitória", afirma o goleiro Washington, um dos mais experientes da equipe. O técnico Mauro Fernandes espera que a equipe encontre o caminho da vitória principalmente no segundo tempo, onde o rendimento vêm caindo visivelmente. "Essa queda de rendimento não pode acontecer. O time tem que manter a estabilidade. Contra o União São João, empatamos no primeiro tempo e deixamos eles ganharem no segundo. Assim não pode", diz o treinador. Para enfrentar a Ponte Preta, a grande novidade deve ser a estréia do lateral Cafu, contratado ontem. Ele já se apresentou e substituirá Wilson Goiano, machucado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.