Arquivo/AE
Arquivo/AE

Diretoria do Corinthians confia em Tite

Derrota para o Figueirense e série sem vencer não abalam confiança de Andres Sanches

Vítor Marques, estadão.com.br

22 de agosto de 2011 | 17h02

SÃO PAULO - Apesar da sequência ruim de resultados (perdeu para o Figueirense no fim de semana, ganhou do Atlético-MG na rodada anterior, mas antes disso vinha de seis jogos sem vitórias), a diretoria do Corinthians continua bancando a permanência do técnico Tite até o fim do Campeonato Brasileiro.

A avaliação que a diretoria faz do treinador é de que o Corinthians continua em primeiro lugar na classificação e que Tite ainda tem o elenco nas mãos. Quando isso mudar talvez as coisas também mudem.

“As oscilações são normais num campeonato longo como é o Campeonato Brasileiro”, disse ao portal do estadão o diretor de futebol Roberto de Andrade. “Não é o momento para mudanças, e o Tite é o nosso treinador.”

Na derrota para o Figueirense por 2 a 0 no Pacaembu, domingo, o Corinthians saiu vaiado do estádio e muitas das insatisfações tinham como endereço o trabalho do treinador. As derrotas em casa e o comportamento da torcida fizeram com que alguns conselheiros também passassem a condenar Tite.

Eles lembram que no ano passado a diretoria demitiu Adílson Batista após uma série de resultados negativos mesmo com o Corinthians brigando pelo título. “A situação agora é outra. Não se pode fazer comparação com a época do Adílson.”

Adílson Batista caiu não só pelos resultados ruins, mas também porque entrou em conflito com líderes do elenco, entre eles o zagueiro William e o lateral-esquerdo Roberto Carlos. O grupo e treinador estavam rachados.

Com Tite isso não acontece. Pelo menos não até o momento. O técnico tem o elenco nas mãos e goza do respeito dos principais jogadores, que o consideram um profissional justo e correto.

Os dirigentes que defendem o trabalho de Tite alegam que demiti-lo no meio do caminho não é uma boa porque não há um substituto à altura no mercado.

OPÇÕES PARA O CARGO

Dois nomes são muito bem vistos no Parque São Jorge, o de Muricy Ramalho (Santos) e o de Ney Franco (Seleção Sub-20). Ocorre que os dois estão empregados e as chances de um deles trabalhar no Coronthians agora são nulas.

O contrato de Tite termina no fim do ano. Se o Corinthians for campeão Brasileiro ou pelo menos obter uma das vagas para a Libertadores de 2012, há boas chances de elle continuar no cargo, porque o provável substituto do presidente Andres Sanches, o ex-diretor Mário Gobbi, aprova seu trabalho.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansTiteAndres Sanches

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.