Diretoria do Fla garante Cuca e promete 'medidas duras'

Após derrota por 5 a 0 para o Coritiba, diretor Plínio Serpa Filho classifica resultado como inadmissível

Evandro Dadel, Agencia Estado

14 de junho de 2009 | 19h49

O diretor de futebol do Flamengo, Plínio Serpa Filho, garantiu neste domingo, após a derrota por 5 a 0 para o Coritiba, que o técnico Cuca continua no comando da comissão técnica. "O Flamengo não vai trocar a comissão técnica, ninguém vai se afastar. Vocês, ao longo dos primeiros dias da semana, vão ver as medidas que vão ser introduzidas, serão medidas duras, sérias", afirmou.

Veja também:

linkCoritiba goleia e instala crise no Flamengo

especialVisite o canal especial do Brasileirão

especialJogue o Desafio dos Craques

lista Brasileirão - Calendário

tabela Brasileirão - Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"É inadmissível perder por 5 a 0 e vamos, a partir de segunda-feira, introduzir uma série de modificações com referência a treinamentos, elenco, enfim, o Cuca não está prestigiado, o Cuca está conosco", declarou o dirigente.

A entrevista terminou logo depois, quando houve bate-boca do dirigente com repórteres que o questionavam sobre o tratamento que seria dado ao atacante Adriano, caso ele não comparecesse novamente a um treinamento. O jogador faltou ao treino de terça e, neste domingo, praticamente não tocou na bola.

O técnico alegou que o jogo "não se desenhou" para ele e negou qualquer problema de relacionamento com Adriano. "O relacionamento é o mesmo com qualquer outro jogador", ressaltou. Segundo Cuca, as "medidas duras" serão aplicadas para todos os jogadores. "Ninguém tem algo diferenciado, são todos iguais", salientou.

Para o treinador, seria muito fácil pedir demissão depois da derrota que ele próprio considerou "vexatória" e da qual disse que ninguém pode se eximir de culpa. "Mas não é meu perfil, não é do meu feitio abandonar em uma situação tão ruim como essa", afirmou. "No momento seria covardia sair, se a diretoria achasse que era o melhor eu aceitaria, lógico que com dor, porque não é o que eu queria".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.