Diretoria do Flu 'ignora' apresentação de Márcio Rosário

O zagueiro Márcio Rosário falou nesta quinta-feira pela primeira vez como jogador do Fluminense, mas não foi uma apresentação tradicional. O jogador foi lançado diante dos microfones sem a presença de nenhum dirigente. Rosário chega ao clube a pedidos do futuro técnico, Abel Braga, e sob as bênçãos de Celso Barros, presidente da Unimed.

AE, Agência Estado

26 de maio de 2011 | 19h15

Nitidamente constrangido, o defensor tentou se esquivar das perguntas sobre o motivo de chegar sem o respaldo da diretoria, e também precisou responder sobre sua saída conturbada do Botafogo.

"Aí, eu já não sei. Estou fazendo minha parte. O doutor Celso Barros fez essa situação e estou aqui me apresentando. Essa questão não é problema meu", disse Rosário, que acertou por um ano com o clube. Ele diz que vai lutar por uma vaga no time, que tem atualmente Gum e Leandro Euzébio como titulares.

"Há outros bons zagueiros no clube, mas vou dar o meu melhor. Isso não vai faltar. Respeito meus companheiros. Há jogadores de qualidade no Fluminense, mas vou fazer meu trabalho", comentou.

O atacante Ciro, de 22 anos, até participou do coletivo desta quinta, nas Laranjeiras, mas sua apresentação foi adiada porque ainda faltam detalhes burocráticos a serem resolvidos na sua negociação. Seus direitos federativos foram adquiridos junto ao Sport por um grupo de empresários, por R$ 4,5 milhões, e é preciso solucionar como será feito o repasse do jogador para o Fluminense.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.