Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Charles Platiau/Reuters - 23/11/2010
Charles Platiau/Reuters - 23/11/2010

Diretoria do Grêmio se irrita e desiste da contratação de Ronaldinho

Presidente Paulo Odone critica a postura do jogador e de Assis, irmão e empresário do atleta

estadão.com.br,

08 de janeiro de 2011 | 15h48

SÃO PAULO - O Grêmio desistiu oficialmente neste sábado da contratação de Ronaldinho Gaúcho, que está cada vez mais perto de jogar no Flamengo na temporada 2011. Irritado com a postura do jogador e do empresário e irmão do atleta, Roberto Assis, o presidente do clube gaúcho, Paulo Odone, convocou uma entrevista coletiva para anunciar que a equipe encerrou as negociações.

Veja também:

linkAssis diz que não há nada definido sobre Ronaldinho

linkPalmeiras não desiste de Ronaldinho

linkRonaldinho 99,9% no Flamengo, segundo o Milan

forum ENQUETE - Ronaldinho deve acertar com qual clube?

blog TRÁGICO E CÔMICO - Ronaldinho leiloado no Mercado Livre

blog DIRETO DA FONTE - Ronaldinho quer morar no Rio

De acordo com Odone, o leilão para o retorno do jogador ao Brasil passou dos limites da tolerância. "Já comuniquei ao Assis que a negociação está finalizada. Ele pode fazer mais propostas, mas está encerrado", assinalou. Na manhã deste sábado, o Vice-presidente de Futebol do Milan, Adriano Galliani, anunciou que Ronaldinho está 99,9% acertado com o Fla.

Segundo o mandatário gremista, as mudanças de postura do craque do Milan nos últimos meses são inaceitáveis. "Quando surgiu a negociação, há mais de dois meses, o Assis manifestou o interesse do Ronaldinho de voltar para o Brasil e atuar no Grêmio. Queria se redimir com a torcida [o meia saiu de forma turbulenta do clube em 2001]. Fizemos uma grande mobilização, várias reuniões. Foram sete versões de contrato diferente, e as mudanças sempre a pedido do Assis. Mas chegamos a um limite", declarou.

Paulo Odone revelou ainda que ficou frustrado com a entrevista coletiva concedida por Ronaldinho na última quinta-feira no Rio de Janeiro. "Fiquei chateado. Quando perguntado sobre onde gostaria de jogar, ele falou que estava indefinido. Não era isso que eu esperava ouvir. Não era isso que eu estava negociando. A grande jogada de trazê-lo era porque ele queria atuar aqui no Grêmio."

O presidente do Grêmio falou também que o clube jamais negociou diretamente com o Milan. "Os valores são muito altos, não temos condições. As tratativas foram sempre diretas com o Ronaldinho."

Sem festa. Na última sexta, certo de que a contratação estava fechada, o Grêmio chegou a preparar uma festa no Estádio Olímpico. Caixas de som foram levadas para o centro do gramado, e só saíram de lá após uma ordem de Odone. "Foi uma atitude de cautela que eu tomei, mas realmente estávamos preparado para recebê-lo", revelou.

Também presente na entrevista coletiva em Porto Alegre, o Vice de Futebol do Grêmio, Antonio Vicente Martins, principal responsável pela negociação, afirmou que a proposta gremistas era maior do que a do Flamengo e do Palmeiras. E minimizou o fracasso. "Quero agradecer à nação gremista, que sempre nos apoiou. O grupo está fechado e vamos em busca do título da Libertadores", assinalou.

Atrito. Revelado pelo Grêmio em 1998, Ronaldinho tinha tudo para ser um eterno ídolo do time do Rio Grande do Sul. Mas, a partir de agora, certamente ficará com a fama de traíra em Porto Alegre.

Além deste atual episódio, o craque já havia saído 'queimado' da equipe em 2001. Na ocasião, ele assinou sem que o Grêmio soubesse um pré-contrato com o Paris Saint-Germain, da França, e se transferiu sem deixar nenhum centavo para o clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.