Diretoria do Icasa demite o técnico Leandro Sena

A crise do Icasa passou da noite para o dia dos tribunais para o campo. Um dia após ter sido excluído, em primeira instância, pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da Série B do Campeonato Brasileiro, a diretoria prometeu recorrer à decisão e ainda promover uma limpeza no seu comando. Demitiu o técnico Leandro Sena e o supervisor de futebol André Turatto.

Estadão Conteúdo

30 de agosto de 2014 | 17h01

A alegação da diretoria é que os resultados não são bons, como realmente provam os números. Em seis jogos, Sena venceu uma vez - 2 a 0 em cima do América-MG -, empatou outra e perdeu quatro vezes. Turatto caiu sob a alegação de ter montado o elenco, considerado fraco. Mas desde o início da competição o clube não tem cumprido com suas obrigações salariais.

O nome mais cotado para assumir o cargo é Flávio Araújo, um dos técnicos mais badalados do futebol do Norte-Nordeste. Ele trabalhou quase três anos no Sampaio Corrêa, conseguindo dois acessos seguidos - da Série D até a Série B do Campeonato Brasileiro. Há pouco mais de um mês ele deixou o comando do time maranhense.

Na última terça-feira, abrindo a 19.ª rodada da Série B, o Icasa perdeu para o Boa, por 2 a 0, em Varginha (MG), ficando com 19 pontos, perto da zona de rebaixamento da Série B.

SITUAÇÃO COMPLICADA - Além de ter que "arrumar a casa" a direção do Icasa precisará travar uma batalha jurídica no Pleno do STJD. Sexta-feira, em primeira instância, por três votos a um, o time foi eliminado da Série B por ter entrado na Justiça comum pleiteando um lugar na Série A do Campeonato Brasileiro, infringindo o artigo 231 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) que diz ser proibido acionar a Justiça comum, antes de esgotadas todas as instâncias da Justiça Desportiva, sob a pena de exclusão.

Além disso, o clube cearense também foi punido com uma multa de R$ 50 mil. Agora, o Pleno decidirá se a punição será imediata ou posterior. Se mantida a decisão inicial, o Icasa não poderá entrar em campo na próxima sexta-feira, às 19h30, contra a Ponte Preta, pela 20.ª rodada da Série B, em casa.

O Icasa entrou na Justiça comum no início deste ano, quando o time cearense acusou o Figueirense de ter atuado com o volante Luan de forma irregular na Série B do ano passado. O jogador, segundo a equipe cearense, não poderia ter defendido o time catarinense contra o América-MG, no dia 28 de maio de 2013, porque o mesmo ainda possuía vínculo com o Metropolitano-SC.

Por isso, o Icasa foi denunciado em dois artigos do CBJD por acionar a Justiça comum: 191 (II) e 231. Neste caso, a punição acarretaria em multas que variam de R$ 100 a R$ 200 mil (somando os dois artigos) e a exclusão da competição.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSérie BIcasaLeandro Sena

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.