Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Diretoria do Palmeiras comemora ideia 'inovadora' para contratar jogadores

José Carlos Brunoro acredita que os jogadores entenderam melhor a política do contrato de produtividade

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

05 de janeiro de 2014 | 04h45

SÃO PAULO - As contratações e as renovações do Palmeiras para a nova temporada foram todas feitas com contratos de produtividade, o que pegou muita gente de surpresa. No entanto, a diretoria garante que, ao contrário do que muita gente imagina, a novidade não prejudicou a montagem do elenco.

O diretor executivo José Carlos Brunoro afirma que a grande maioria dos jogadores com os quais negociou aceitou as condições impostas pelo Palmeiras. Uma das exceções foi o zagueiro Vilson.

"Todos os setores profissionais têm de buscar rendimento. A maioria dos atletas aceitou a mudança, até porque eles entenderam que podem até ganhar mais se conseguirem os objetivos", explicou o dirigente.

Até mesmo o zagueiro Lúcio, que deve ser a principal contratação da equipe neste ano, aceitou reduzir o valor do salário fixo com a possibilidade de ganhar mais de acordo com a produtividade.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.