Diretoria do rebaixado CSA renuncia

O Centro Sportivo Alagoas (CSA), time que já foi dirigido pelo ex-presidente Fernando Collor e que serviu da base política para seu filho Arnon de Mello Neto, caiu para a segunda divisão do campeonato alagoano de futebol. A derrota por 4 a 2, no domingo, para o principal rival, o Clube de Regatas Brasil (CRB), deixou o time de Collor fora da elite do futebol alagoano, pela primeira vez na sua história. O rebaixamento do CSA para a segunda-divisão provocou a renúncia coletiva dos dirigentes do clube, hoje à tarde. O clube era presidido pelo ex-deputado federal por São Paulo, Euclides Mello, primo de Collor e substituto de Arnon de Mello no comando do time. Desde que o filho de Collor assumiu o "Azulão do Mutange", em 1999, que o clube não ganhou um título. Tachado de "pé frio", Arnon passou o comando do time para Euclides, em 2001. No jogo contra o CRB, a torcida azulina compareceu em pouca quantidade ao Estádio Rei Pelé. Enquanto isso, a torcida do CRB aproveitou a má fase do CSA para fazer o "enterro simbólico" do azulão, levando para o estádio um caixão com as cores do time rival. Mesmo que ganhasse a partida, o CSA ainda dependia do resultado de outro jogo para tentar se livrar do rebaixamento. Com o rebaixamento, o CSA não participa da Série "C" do Campeonato Brasileiro de 2003. O time caiu para a segunda divisão depois de trocar duas vezes de técnico, porque vinha segurando a lanterninha desde o início do campeonato alagoano. Desde 1927 que o CSA participa do campeonato e este ano fez a sua pior campanha. Dos 14 jogos que disputou, o time azulino teve apenas três vitórias, dois empates e nove derrotas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.