Diretoria do Santos decide não pedir adiamento de jogos

O Santos desistiu de pedir o adiamento dos sete jogos pelo Campeonato Brasileiro para não ser prejudicado durante o período em que Neymar, Paulo Henrique Ganso e Rafael deverão estar com a seleção brasileira na Olimpíada de Londres. Segundo o vice-presidente, Odílio Rodrigues Filho, o assunto foi um dos muitos discutidos na reunião desta quarta-feira do Comitê Gestor e a conclusão foi de que as alterações na tabela criariam problemas para a CBF.

SANCHES FILHO, Agência Estado

27 de junho de 2012 | 18h21

"Além da falta de datas, em alguns momentos a classificação do Brasileiro se tornaria fictícia em razão dos jogos em atraso", afirmou o dirigente. Odílio também disse que na conversa que teve com o presidente da CBF, José Maria Marin, durante a visita ao Centro de Treinamento Rei Pelé, no sábado passado, não sentiu da parte dele disposição em mudar datas de jogos em razão da participação do Brasil na Olimpíada.

Nem mesmo a dispensa de Neymar e Paulo Henrique Ganso apenas no dias do jogo contra o Grêmio (dia 8 de julho, na Vila Belmiro) e Internacional (15/7, em Porto Alegre) deverão ser pedidas. "Entendemos que isso poderia criar embaraços para a CBF porque há outros clubes na nossa situação. Além disso, não vamos atrapalhar a preparação da seleção olímpica, que a CBF está levando a sério".

O que ficou decidido na reunião desta quarta é que o Santos vai pedir a mudança de estádio em alguns do seus mandos de jogos. "Serão pedidos pontuais a serem feitos nos momentos certos. A nossa intenção é manter alguns jogos para a Vila Belmiro e levar outros para o Pacaembu porque temos uma enorme torcida em São Paulo".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoSantos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.