Ivan Storti/Santos
Ivan Storti/Santos

Diretoria do Santos demite o técnico Fernando Diniz após terceira derrota seguida

Mais recente tropeço da equipe paulista foi diante do Cuiabá, neste sábado, pelo Brasileirão

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2021 | 14h30
Atualizado 05 de setembro de 2021 | 14h33

Chegou ao fim neste domingo a passagem de Fernando Diniz pelo Santos. O técnico não resistiu à terceira derrota seguida e acabou demitido pela diretoria, bastante pressionada pela falta de resultados. Os 2 a 1 para o Cuiabá foram a gota d'água. São seis jogos seguidos sem vitórias e aproximação perigosa na zona de rebaixamento do Brasileirão.

Diniz deixa o Santos com desempenho de somente 44% de aproveitamento. São 12 derrotas, 11 vitórias e oito empates. Caiu na primeira fase da Libertadores, foi eliminado na Copa Sul-Americana e perdeu o duelo de ida para o Athletico-PR mas quartas da Copa do Brasil.

No Brasileirão, com somente 22 pontos, ocupa o 13° lugar, podendo ser ultrapassado por São Paulo e Juventude e ficar somente um ponto da zona de queda caso o América também vença seu jogo a menos.

"O Santos FC comunica que Fernando Diniz deixa a função de técnico do time profissional neste domingo, 5 de setembro. O treinador foi comunicado ainda em Cuiabá, após reunião com o presidente Andres Rueda e o executivo de futebol, André Mazzuco", informou o Santos.

Os auxiliares-técnicos Eduardo Zuma e Yan Razera e o preparador físico Wagner Bertelli também deixam o clube. "O Santos FC agradece ao técnico pelos serviços prestados, iniciados no dia 7 de maio, pela parceria neste momento do clube e deseja sorte em seu futuro profissional."

Fernando Diniz fez um "apelo" para a diretoria do Santos após a derrota por 2 a 1 para o Cuiabá. Em sua coletiva, garantia que daria a volta por cima com a chegada dos reforços. Prometia um Santos mais forte com Léo Baptistão, Diego Tardelli, Jandrei e Velázquez. Mas não conseguiu convencer.

A diretoria do Santos não conseguiu mais respaldar o treinador após série de insucessos a acabou cedendo às pressão de conselheiros e dos treinadores, que não admitiam mais Diniz no clube, sob alegação que o risco de queda estava virando real e perigoso.

Após ter feito 2 a 1 sobre o Libertad, dia 12 de agosto, o Santos entrou em queda livre. Empatou por 1 a 1 com o Fortaleza, foi eliminado pelos paraguaios na volta da Copa Sul-Americana, com 1 a 0 em Assunção, ficou no 2 a 2 com o Inter na Vila Belmiro e iniciou a série de derrotas com 1 a 0 para o Athletico-PR, levou goleada de 4 a 0 do Flamengo e agora caiu novamente com os 2 a 1 diante do Cuiabá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.