Diretoria esquece Thiago Neves e paga jogadores do Palmeiras

Dininho, Martinez e Valdivia cobram da diretoria e direitos de imagem e premiações por vitória são pagas

Juliano Costa, Jornal da Tarde

25 de outubro de 2007 | 19h29

Entre pagar seus próprios jogadores e adiantar uma quantia significativa a Thiago Neves (R$ 400 mil), do Fluminense, a diretoria do Palmeiras escolheu a segunda opção. Resultado: direitos de imagem e premiações por vitória, que representam em média 50% dos vencimentos dos atletas, atrasaram em três meses, o que obviamente irritou a todos no clube alviverde.   Veja também: Thiago Neves diz que assinou por influência de ex-empresário Palmeiras tem contrato com Thiago Neves e agente reclama   Revoltados, Dininho, Martinez e Valdivia foram cobrar a diretoria, em nome do elenco, na quarta-feira. Ouviram mais um pedido de desculpas pelo novo atraso - é o terceiro no ano - e a promessa de que a maior parte da dívida seria quitada ontem, o que de fato aconteceu.   O atraso já estava começando a influenciar os ânimos da equipe. "Antes do treino, liguei para o banco e fiquei sabendo que o dinheiro tinha caído na conta. Foi um alívio", disse Dininho. "No São Caetano, nunca atrasaram nada", emendou o ex-zagueiro do Azulão, time que luta para não cair para a Terceira Divisão do Campeonato Brasileiro.   Semana passada, um conselheiro oposicionista havia entrado em contato com a reportagem do JT/Estado para informar do atraso no pagamento aos jogadores. Questionado sobre o assunto, o diretor de futebol Savério Orlandi disse que a situação estava "regularizada".   Ontem, ele explicou o que significa esse termo: "Estava regularizado porque os jogadores sabiam do atraso e dos nossos esforços em quitar essa dívida. Tecnicamente, qualquer conta pode ser paga com até 30 dias de atraso, desde que haja uma multa. E você não deixa de estar regularizado por causa disso." Savério completou: "Sempre fomos transparentes com o grupo." O diretor admitiu que o atraso era de três meses. O dinheiro relativo a julho e agosto foi pago ontem. Os vencimentos de setembro vão demorar mais 15 dias para cair na conta. Os jogadores vão ter que esperar para engordar a poupança.   "Posso garantir que isso não vai atrapalhar nossa luta por uma vaga na Libertadores", disse Dininho. "E se apesar do atraso a gente estava em segundo, imagina agora que o dinheiro caiu na conta", emendou.   O próximo jogo do Palmeiras é domingo, contra o Vasco, no Rio de Janeiro, às 18h10.

Tudo o que sabemos sobre:
Brasileirão Série APalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.